Prefeitura viabiliza ampliação de vagas em cursinho da UFMS

Clóvis Neto

Município assumiu o compromisso de oferecer estrutura aos alunos

A Prefeitura Municipal de Corumbá e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) se uniram para ampliar o número de vagas disponibilizadas pelo curso pré-vestibular oferecido pelo Conexões do Saberes, programa criado pelo Ministério da Educação para estimular a articulação entre a instituição universitária e as comunidades populares. A parceria foi anunciada nesta quarta-feira (25) durante a abertura do IV Seminário Local dos Estudantes Universitários de Origem Popular na UFMS, realizado no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Goméz.

“O grande objetivo é possibilitar que cada vez mais pessoas de origem humilde tenham acesso a uma universidade pública”, destacou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), durante o evento. “A intenção é ampliar essa possibilidade às famílias quem tem menos condições. Fazer um curso superior é um sonho frequente entre os jovens: ter uma profissão, conseguir uma ocupação no mercado de trabalho, sustentar sua família e exercer plenamente seu direito à cidadania”, continuou.

De acordo com o prefeito, o Município assumiu o compromisso de oferecer estrutura aos alunos “Colocaremos à disposição do programa o mapeamento municipal desse público de difícil acesso”, complementou o chefe do executivo municipal, que retomou hoje suas atividades na prefeitura. O professor Milton Mariani, pró-reitor de Extensão e Assuntos Estudantis, que representou a reitora Célia Maria no evento, enfatizou a participação do Executivo no processo educacional.

“Agradeço a sensibilidade e o apoio do prefeito em entender que a extensão ideológica do programa também tem que se dar com o Poder Público. E aqui em Corumbá vem sendo cumprido isso”, comentou. Segundo a coordenadora do Conexões dos Saberes, Carmen Adélia Saad Costa, o programa foi implantado em Mato Grosso do Sul em 2005, sendo que o Campus do Pantanal (CPAN), foi o escolhido para dar início ao projeto.

“Buscamos proporcionar medidas que possibilitem o acesso e a permanência com qualidade do estudante de espaços populares no ensino superior”, disse. O programa atende estudantes de escolas públicas com renda familiar de até 3 salários mínimos. Em média, 70% dos incluídos no curso pré-vestibular conseguem ingressar na faculdade. É o caso de Jussara Silva dos Santos.

“Vim de uma família bastante humilde no Rio de Janeiro. Me mudei para cá com um tio. Passei no vestibular para o curso de Letras da UFMS. Mas ai meu tio voltou para o Rio e eu fiquei. Fui ‘adotada’ por uma família que me tratava muito bem, mas tinha apenas comida e um lugar para dormir. Eu fazia faxinas e pintava unhas para suprir os gasto com a universidade”, contou.

A vida dela começou a mudar em 2006, quando entrou para programa do Governo Federal. “Entrei no Conexões e até hoje não consegui sair. Em 2007, quando ainda era acadêmica, comecei a dar aulas e me apaixonei de vez pelo projeto”, completou. Além de não pagarem pelo curso pré-vestibular, os alunos do Conexões dos Saberes recebem uma bolsa para auxiliar nas despesas com a Universidade.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicações Institucionais