Plano Municipal de Cultura busca valorização da produção local

Clóvis Neto

O Secretário Carlos Porto, explicou os eixos de debate, alinhados com o Plano Nacional de Cultura (PNC)

O primeiro passo para criação efetiva do Plano Municipal de Cultura foi dado nesta manhã (20), no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez. Uma etapa importante para a implantação de diretrizes específicas para a classe cultural pantaneira. O encontro reuniu vários representantes da categoria com a Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal e pretende abrir uma ampla discussão para fortalecer as manifestações culturais e implantação de políticas locais.

A reunião teve como foco a apresentação das principais normas e direcionamentos que vão trilhar a criação das políticas públicas específicas do plano local, que atenderão as reivindicações do segmento cultural pantaneiro. Durante a solenidade de abertura o secretário executivo de Relações Institucionais do Município e diretor-presidente da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, Carlos Porto, explicou os eixos de debate, alinhados com o Plano Nacional de Cultura (PNC).

“Os conceitos de cultura precisam ser bem definidos e valorizados. É fundamental a criação de um plano específico para Corumbá, principalmente para o prosseguimento das políticas públicas e maior envolvimento da população”, explicou. A intenção é que o plano faça com que a cultura corumbaense esteja mais próxima da população, principalmente nos bairros, através da dança, música, teatro, entre outras manifestações.

Segundo a superintende de cultura, Heloísa Urt, a cultura local está totalmente interligada. “A dança está ligada à música, poesia, artesanato. Então precisamos pensar juntos para criar algo que atenda a todos”, comentou. Urt lembrou que antes da efetiva criação do plano, ainda haverá vários debates e encontros. “Não será de um dia para o outro, primeiramente vamos criar grupos de trabalhos que irão se reunir e debater os eixos principais do plano”, complementou.

Os grupos serão formados por representantes da classe cultural de Corumbá juntamente com técnicos da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal. As reuniões começam a partir da próxima semana. Os próximos passos serão a redação do que foi debatido durante os encontros, levantamento de dados técnicos e entrega para o prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira (PT), da proposta do Plano Municipal de Cultura. Antes de enviar para a plenária para aprovação haverá a criação do Conselho Municipal de Cultura.

Mostrando a preocupação da Prefeitura de Corumbá em fomentar e estimular as manifestações artísiticas corumbaenses, o secretário Carlos Porto já adiantou que o edital do financiamento através do Fundo Municipal de Cultura deverá ser aberto em dezembro deste ano. Uma etapa importante para o envolvimento da classe cultural com o poder público.

Para o artista urbano Helker Ernani Corrêa, que trabalha com grafitagem em escolas de Corumbá, é fundamental haver esta discussão para valorizar os trabalhos dos artistas locais. “O Plano é uma forma de divulgar e também de organizar arte no município, principalmente a grafitagem que ainda não é muito conhecida e respeitada“, comentou.

Diretrizes

Durante a reunião, Porto enfocou nas diretrizes do Plano Nacional de Cultura. Entre as normas, os 5 eixos principais falam sobre o fortalecimento do planejamento e execução das políticas culturais, proteção e valorização da diversidade artística e cultural, universalização do acesso à fruição (desfrute) e produção cultura, ampliação da participação da cultura no desenvolvimento sócio-econômico sustentável e consolidação dos sistemas de participação social na gestão das políticas culturais.

As discussões sobre o plano local de cultura prosseguem na manhã deste sábado (21) no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez. Participaram do evento desta sexta-feira o secretário executivo de Educação, Hélio de Lima, o secretário executivo de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, Ricardo Ametlla.

Subsecretaria de Comunicação Institucional