Lixo acumulado embaixo das casas, maior preocupação no Lontra

Clóvis Neto


Brigadista retira lixo embaixo das casas: muita dificuldade

Localizado às margens do rio Miranda, no município de Corumbá, o Passo do Lontra apresenta um sério problema: o excesso de lixo acumulado embaixo das casas construídas sobre palafitas, onde residem as 23 famílias da comunidade. Durante a realização do projeto Vida Nova, esta preocupação foi demonstrada pelos integrantes das equipes da Prefeitura Municipal e parceiros e o assunto já está sendo analisado por um grupo de trabalho, integrado pelas secretarias executivas de Meio Ambiente e de Saúde, Ecoa, Ibama, Embrapa, Exército, Imasul, Fundação de Cultura e Turismo, Brigada Prevfogo e Polícia Militar Ambiental.

Em um primeiro momento, foi realizado um grande mutirão na região, que permitiu a retirada do lixo e separação do que é reciclável. Ao mesmo tempo, foi desenvolvido um trabalho de educação ambiental junto aos moradores, para que eles possam, a partir de agora, fazer a separação do lixo, evitando que seja jogado no ambiente, a céu aberto. Ao mesmo tempo, uma vez por mês, um caminhão vai visitar o local e comprar todo o lixo reciclável. Já o lixo orgânico será destinado a produção de adubos. Os parceiros vão disponibilizar também recipientes apropriados para depositar o lixo.

Márcio Antônio Caetano, 29 anos, morador desde pequeno na região, considerou a ação como fundamental. Ele demonstra preocupação com a destinação final do lixo. “Não temos um local adequado. Aqui, o que é reciclável eu separo. Outra parte é preciso colocar fogo. Isto também é outro problema”, ressalta, demonstrando otimismo com uma solução, a partir desta aão desencadeada na quinta-feira. “A partir do momento que tivermos um local adequado para o lixo, ninguém vai ter desculpa por jogar o lixo em qualquer lugar”, complementa.

Josilene da Silva Parrochi, 24 anos, concorda. Vai mais adiante ao afirmas que a comunidade também tem que se conscientizar e evitar jogar o lixo como vinha acontecendo, embaixo das casas construídas sobre palafitas. Sua preocupação está relacionada a doenças. “As crianças são as que mais sofrem. Diarréia, vômito, são constantes”, comenta.

O médico Emerson Ferreira Moreira, gerente de Atenção em Saúde, da Secretaria Executiva d Saúde Pública, participou das atividades. Ele comentou sobre os problemas que o lixo causa à saúde humana. Explica também que este não é o único problema para os casos de vômitos e diarréia. “Não há água potável. É consumido direto do rio, sem qualquer tipo de tratamento. Isto traz problemas à saúde do ser humano”, comentou.

O superintendente de Turismo José de Carvalho Junior, por sua vez, destacou que a preocupação da Prefeitura e dos parceiros, é buscar soluções para os problemas das comunidades localizadas na Estrada Parque. Informou que todos estão sendo detectados e que a ideia é buscar soluções. “O que ocorreu hoje (quinta-feira), foi mais uma forma de conscientizar os moradores, e mostrar a eles que, trabalhando coletivamente, podemos solucionar os problemas”, concluiu.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional