Jogo beneficente arrecadou R$ 308 mil para Hospital de Caridade

Marcos Boaventura

“Pegamos R$ 192 mil, aplicamos na participação popular e transformamos em R$ 306 mil para o Hospital”, explicou o prefeito

Extremamente positiva. Assim o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) definiu a arrecadação do amistoso beneficente entre Corumbaense e Botafogo, realizado no dia 04 de julho no estádio Arthur Marinho. A receita (soma das vendas dos ingressos, dos patrocínios, e das vendas do bar) da partida resultou em R$ 301.160,00. O Feijão do Fogão, promovido no sábado anterior ao jogo, gerou mais R$ 7.500,00. Ao todo, o Hospital de Caridade de Corumbá receberá investimento de R$ 308.660,00 recursos que serão utilizados para a construção da UTI Neonatal.

Nesta terça-feira (13), durante a apresentação do balanço total da partida, o prefeito ainda detalhou as despesas que o evento proporcionou. Entre o cachê do atual Campeão Carioca, as passagens aéreas e a hospedagem dos atletas e da comissão técnica, o investimento foi de R$ 192 mil. “Ou seja, o lucro foi de R$ 109.660,00. Como nosso compromisso é de repassar toda a arrecadação ao Hospital, os recursos investidos na entidade serão de R$ 308.660,00”, explicou o prefeito, que aproveitou a oportunidade para agradecer mais uma vez o envolvimento de toda a sociedade com a causa.

“Quero agradecer a participação de todos, dos clubes, dos funcionários, dos patrocinadores e, principalmente, da população de Corumbá. As pessoas entenderam o chamado, o convite à solidariedade e ajudaram muito”, enfatizou. Durante a entrevista, Ruiter também comentou sobre os 2 meses de intervenção na Santa Casa de Corumbá. “Ontem repassamos algumas situações ao Ministério Público em uma reunião interna realizada na Prefeitura. No próximo dia 12 apresentaremos, conforme determina o acordo judicial, maiores detalhes da situação que se encontra o hospital”.

Quanto ao repasse do dinheiro arrecadado na ação beneficente para a Junta Interventora, o chefe do Executivo municipal explicou que existem dificuldades para enviar os R$ 308 mil a entidade. “Até hoje a Junta ainda não sabe o total da dívida. Continuamos recebendo algumas situações inesperadas, como a penhora de bens e recursos”, informou. Atualmente, o saldo devedor do hospital está na casa dos R$ 12 milhões, isso considerando que o balanço de 2008 ainda não foi apresentado pelos antigos administradores.

Para evitar que o montante arrecadado com o amistoso acabe penhorado, o Executivo estuda desapropriar um pedaço do terreno onde está o Hospital de Caridade, construir a UTI Neonatal em nome do Município e só depois repassa-lo aos administradores. “Esta é a solução jurídica encontrada até agora”, continuou Ruiter. “Como pregamos desde o início desta ação beneficente, queremos que os recursos do jogo, em que toda a população participou, sejam utilizados para investimentos na saúde do povo corumbaense”.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional