Em Corumbá, escolas municipais superam metas do MEC no Ideb

As escolas da Rede Municipal de Ensino (Reme) mantidas pela Prefeitura de Corumbá superam os estabelecimentos de ensino do Estado e particulares no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2009. Resultado divulgado nesta semana mostra que, nas séries finais do Ensino Fundamental (5ª a 8ª séries), a nota alcançada, 3,3, superou a meta estabelecida pelo Ministério da Educação para 2009, que era de 3,0, atingindo a meta de 2011, que é de 3,3.

O resultado superou as escolas estaduais e particulares, que atingiram notas 2,8 e 3,1 respectivamente, com as unidades estaduais ficando abaixo da meta estabelecida para 2009, que foi de 3,0. A nota obtida nas séries iniciais (1ª a 4ª), também foi considerada boa. A Rede Municipal obteve média de 3,7, acima da meta que era de 3,5, e somente 2 décimos abaixo da meta estabelecida para 2011, que é de 3,9.

Os números foram comemorados pelo secretário executivo de Educação, professor Hélio de Lima. Na noite desta segunda-feira, durante o lançamento do Projeto Rondon, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, ele comentou o assunto com o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT). Mais uma vez, o chefe do Executivo corumbaense reafirmou seu compromisso com a educação, inclusive orientando o secretário a dar sequência ao trabalho que vem sendo desenvolvido para, nos próximos anos, superar todas as metas estabelecidas.

Hélio observou que o resultado do Ideb se deve às ações em prol da educação corumbaense. “É fruto da valorização e respeito ao profissional da educação, uma marca da administração do prefeito Ruiter; do trabalho que vem sendo desenvolvido nos últimos anos, por meio das formações continuadas, das atuações do colegiado escolar, das melhorias físicas dos estabelecimentos de ensino, enfim, de uma série de benefícios que contribuíram para uma educação melhor”, afirmou.

O secretário citou também o cuidado com os alunos. “A prefeitura teve preocupação de investir também nas crianças. Hoje, todos recebem seus uniformes, as escolas estão em melhores condições de recebê-los e, além disso, contam com espaços apropriados para práticas esportivas e de lazer. Tudo iso reflete em um melhor aprendizado”, comentou.

Nas séries iniciais, por estabelecimentos de ensino, os destaques ficaram por conta das escolas Cássio Leite de Barros, Rachid Bardauil e Delcídio do Amaral, que já atingiram as metas estabelecidas para 2015. A primeira, por exemplo, obteve 4,0 em 2009 e a meta para 2015 é de 3,9. O Rachid ficou com 4,3, mesma meta para 2015. Quanto ao Delcídio, ficou com 4,9 e a meta de 2015 é de 4,8. Destaques também para o Barão do Rio Branco com uma nota de 4,4, superando a meta de 2013, 4,2, ficando próximo de 2015, que é de 4,5. A Izabel Corrêa também teve bom rendimento, com uma nota 4,3, superando 2011 (4,1) e ficando próximo de 2013 (4,4).

Na nas séries finais, destaques para a Escola Izabel Corrêa de Oliveira que obteve nota 3,9, atingindo já a meta estabelecida para 2013. Outras unidades que se sobressaíram foram o Clio Proença, Fernando de Barros e o Caic, cujas notas atingiram ou ultrapassaram a meta de 2011. O Clio obteve 3,4, acima da meta de 2011 que é de 3,2; o Fernando de Barros ficou com 3,2, a meta de 2011, e o CAIC Padre Ernesto Sassida obteve 3,4, acima da meta de 2011, que é de 3,2.

Hélio de Lima prevê rendimento maior ainda nos próximos anos com os programas em desenvolvimento na Rede Municipal de Educação, em parcerias com instituições como a Fundação Ayrton Senna, bem como do próprio Governo Federal. “O trabalho está tendo continuidade e acreditamos que em 2011, o resultado será melhor ainda com os programas Se Liga e Acelera Brasil, que está permitindo nivelar os alunos tanto na aprendizagem como no conhecimento, e o Mais Educação, que é a escola em período integral”, diz, confiante.

O Ideb

O Ideb foi criado em 2005 para medir a qualidade do ensino público no país e é calculado a cada dois anos, levando em conta as notas da Prova Brasil e os índices de reprovação. O Inep estabeleceu metas de qualidade que devem ser atingidas pelo país, pelos estados, municípios e pelas escolas. O objetivo é que a média nacional chegue a 6 em 2021.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional