Corumbá inicia sua terceira turma do ProJovem Adolescente

Clóvis Neto

Aula inaugural aconteceu na tarde desta quinta-feira e Haroldo
destacou importância do programa para formação dos adolescentes

Parceria com o Governo Federal está permitindo à Prefeitura Municipal de Corumbá, preparar um grupo de 200 adolescentes com idade entre 15 e 17 anos, por meio do ProJovem Adolescente, um programa destinado à inclusão social de jovens em situação de vulnerabilidade social, sua integração familiar e comunitária, reinserção e permanência na escola, ajudando a torná-los cidadãos participativos. A aula inaugural aconteceu na tarde desta quinta-feira na sede do Centro de Promoção Humana e Ambiental Padre Ernesto Sassida (Cenper) e os trabalhos serão desenvolvidos durante dois anos.

Esta é a terceira turma do ProJovem Adolescente em Corumbá que já permitiu a formação de 50 jovens e outros 150 concluem o aprendizado no final de 2010. A aula inaugural foi prestigiada pelo secretário executivo Haroldo Waltencyr Ribeiro Cavassa, de Assistência Social, que destacou a importância do programa para a formação do adolescente, inclusive profissional.

“Durante dois anos, estes adolescentes contarão com um total de 1.200 horas de atividades que vão oferecer oportunidades para que desenvolvam suas habilidades, fortalecendo o convívio familiar e comunitário”, observou o secretário. Conforme ele, o programa é um complemento para a formação dos jovens, “contribuindo para a construção de um Pais melhor, justo e solidário”.

O secretário, durante ba aula inaugural, orientou não só os adolescentes, mas também os familiares presentes. Lembrou a importância do vínculo familiar e do respeito ao próximo para a formação de cidadãos dignos e responsáveis. Lembrou um fato que está chocando o País, o caso do goleiro Bruno, do Flamengo, “um jovem que saiu de uma estrutura familiar de baixa renda, chegou ao ápice da carreira profissional, e que agora está vendo tudo desabar”.

Para ele, tudo isto está relacionado à base familiar, ao vínculo afetivo e que, por isso mesmo, foi implantada a Política Nacional de Assistência Social, instrumento que “se preocupa com a formação do jovem, para que eles tomem caminhos justos, honestos, que influenciarão no seu futuro profissional”.

O programa

O ProJovem Adolescente é um serviço socioeducativo continuado de Proteção Básica de Assistência Social, entendido como direito, que possibilita a segurança de convívio e promove o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários; favorece o protagonismo, e que tem como pilares a matricialidade socio-familiar e territorialidade da oferta.

Em Corumbá está sendo coordenado pela Secretaria Executiva de Assistência Social, ligada à pasta da Secretaria Municipal de Ações Sociais, e é voltado a adolescentes oriundos do Programa Bolsa Família e encaminhados pela Rede de Proteção Social (Conselho Tutelar, Medidas Sócio-Educativas e Centro de Referência Especializado de Assistência Social). Eles integram os grupos dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) I, no bairro Centro América, Central, Rural e III, no bairro Generoso.

Kátia Capilé, chefe do Núcleo de Proteção Social Básica da Secretaria, explicou que as atividades serão realizadas nas sedes do CRAS, por meio de oficinas de esporte, cultura e lazer, bem como preparação para formação profissional, atividades em parcerias com as fundações de Esporte de Corumbá (Funec) e de Cultura e Turismo do Pantanal; Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS); Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), e Moinho Cultural.

O programa, conforme ela, está dividido em dois ciclos. O primeiro, com duração de um ano, está relacionado à convivência social e participação cidadã. “Vamos trabalhar o jovem e o meio ambiente, o trabalho, a educação, a cidadania e a convivência na comunidade onde reside”, explica. O segundo ciclo, também com duração de um ano, será a participação cidadã e formação técnica geral.

Na aula inaugural os adolescentes e familiares tomaram conhecimento de detalhes do programa, por meio de explicações a cargo da professora Adelma Galeano, da Secretaria Executiva de Assistência Social. Além disso, assistiram a duas palestras com os presidentes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Luciano Cruz Souza, e do Conselho Tutelar, Paulo Madson.

Lécio Henrique França, 44 anos, morador na Popular Velha, acompanhou sua filha na aula inaugural. Ele vive a expectativa de ver a adolescente, no prazo de dois anos, trabalhando junto com ele mesmo ou em alguma empresa corumbaense. “Ela optou por participar do ProJovem. Quer aproveitar a oportunidade, fazer cursos e se ingressar no mercado de trabalho. Temos que acompanhar, dar apoio a ela”, afirmou, otimista.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional