Saúde faz ação de prevenção e combate à leishmaniose na cidade

A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Executiva de Saúde Pública, iniciou na última terça-feira, mais uma ação de prevenção e combate à leishmaniose na cidade. O trabalho foi desencadeado na região do bairro Cristo Redentor e conjunto Vitória Régia e a estimativa é efetuar a coleta de amostras de sangue de uma população canina estimada de 1,5 mil animais.

A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Executiva de Saúde Pública, iniciou na última terça-feira, mais uma ação de prevenção e combate à leishmaniose na cidade. O trabalho foi desencadeado na região do bairro Cristo Redentor e conjunto Vitória Régia e a estimativa é efetuar a coleta de amostras de sangue de uma população canina estimada de 1,5 mil animais.

A ação está sendo desenvolvida pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e, além da coleta de amostras de sangue, está sendo realizada uma campanha educativa junto à população. Quarenta agentes estão envolvidos nos trabalhos, divididos em 12 equipes, sendo duas de apoio e suporte a outros programas do CCZ, em caso de necessidade.

A médica veterinária Stephanie Lins informa que a expectativa é concluir a coleta nas duas regiões em um prazo de 10 dias. O cronograma estabelecido prevê uma soma de 240 amostras diariamente do material para análise no CCZ. O trabalho, segundo ela, é contínuo, ficando sábado, domingo e os feriados, destinados a recuperação das residências fechadas, bem como casos complexos, a cargo dos agentes do canil e da viatura de coleta de pequenos animais.

O cronograma prevê a conclusão de todo o serviço em um prazo de 45 dias, inclusive com recolhimento e eutanásia dos animais positivos para a leishmaniose. O CCZ orienta a população para facilitar o trabalho dos agentes, inclusive no recolhimento de animais com a doença. Em caso de recusa, uma equipe da área de educação em saúde fará um trabalho, no sentido de informar ao cidadão, os riscos que um animal positivo representa à sociedade, podendo inclusive acionar a Promotoria se o proprietário manter-se irredutível.

Educação

Antes de iniciar o inquérito, o CCZ realizou um trabalho de manejo ambiental e educacional na região do Cristo Redentor, por meio de palestras e orientações aos moradores da região, além de coleta e retirada de material orgânico das residências e terrenos baldios do bairro, a instituição está levando, por meio de palestras, importantes orientações aos moradores da localidade. De sete casos de leishmaniose humana registrados em 2009, quatro ocorreram na região, o que motivou a realização de toda esta ação.

A leishmaniose é transmitida ao cão pelo mosquito Flebotomíneo, popularmente conhecido como mosquito-palha. A colaboração da população é fundamental, o sentido de facilitar a entrada das equipes nas casas para a realização de todos os serviços necessários, inclusive entregando animais doentes aos profissionais do CCZ, principalmente pelo fato de que há casos em que o cão está com a doença, mas não manifesta os sintomas.

Os sintomas apresentados pelos cães são emagrecimento, ferimentos na ponta do nariz e orelhas, secreções nos olhos e unhas compridas. A transmissão ao homem acontece pelo próprio cão e pode se manifestar de duas formas: a tegumentar e a visceral. A primeira não leva o paciente à morte, mas causa lesões cutâneas e nasofaríngeas deformantes e dolorosas, dificultando a alimentação e diminuindo a capacidade para o trabalho. Podem aparecer dezenas de feridas que deixam cicatrizes muito marcantes no rosto, braços e pernas. Já a forma visceral provoca febre, ascite (barriga d’água), hepatomegalia (grande fígado), aumento do baço, emagrecimento, complicações cardíacas e circulatórias.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional