Casa de Acolhimento vai oferecer conforto para até 20 abrigados

Clóvis Neto
 

Para Ruiter, a instituição ajuda a fortalecer os laços e a estrutura familiar para a qualidade de vida da população infanto-juvenil

Inaugurada na manhã desta terça-feira (22), a Casa de Acolhimento Institucional Laura Pinheiro Martins vai oferecer conforto, segurança e bem-estar para até 20 adolescentes (limite máximo tipificado pela Legislação Federal) em situação de vulnerabilidade social. A instituição foi construída pela Prefeitura de Corumbá em parceria com o Instituto Votorantin, por meio do Programa VIA, desenvolvido pela empresa. Encaminhada pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) e pela Secretaria Municipal de Ações Sociais, a parceria foi elogiada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT).

“Esta é uma função que não cabe apenas ao Poder Público, mas também às empresas, como fez a Votorantin, e a toda a população brasileira. Todos nós presentes aqui hoje, enquanto cidadãos, podemos tomar atitudes em nosso dia-a-dia para minimizar os problemas relacionados às nossas crianças e adolescentes”, afirmou Ruiter. Mencionando o Projeto Habilitar – voltado a jovens com dependência química e alcoólica, inaugurado na última sexta-feira (18) – o prefeito reforçou a necessidade de fortalecer os laços e a estrutura familiar para a qualidade de vida da população jovem.

A promotora de Justiça da Infância e Juventude, Lívia Carla Guadanhim Bariani Bobadilha Garcia, também colocou a família como o primeiro responsável pelo cuidado e zelo com os jovens e adolescentes. Para ela, a inauguração do abrigo é motivo de grande satisfação para o Judiciário e uma conquista importante de toda a cidade. “As casas de acolhimento de Corumbá estão de parabéns. Nos últimos anos, diversas melhorias têm ocorrido nos três abrigos, com todas as diferentes faixas etárias sendo atendidas”, completou.

O presidente do CMDCA, Luciano Cruz Souza, afirmou que a instituição inaugurada colabora com as políticas públicas voltadas ao público infanto-juvenil. “Essa casa de acolhimento vai servir para guardar os vulneráveis, de forma segura, até que eles sejam reinseridos dentro na família”, ressaltou.

Já a representante do Instituto Votorantim, Amanda Aragão, apontou a inauguração como “a concretização da parceria e do trabalho conjunto” desenvolvidos na cidade. “Esta casa foi idealizada para que seja o melhor local possível para os que estão privados do ambiente familiar”, continuou.

Conforme o secretário executivo de Assistência Social, Haroldo Ribeiro Cavassa, os primeiros jovens devem ser transferidos para o abrigo em no máximo 10 dias. “Faltam apenas alguns pequenos detalhes que darão ainda mais qualidade às instalações”, disse.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional