Anel viário promove desenvolvimento da economia, diz Ruiter

Marcos Boaventura
 

Para o ministro, a inauguração do anel viário de Corumbá foi possível graças à convergência entre todos os atores envolvidos no processo

Inaugurado na manhã desta segunda-feira (28) pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio de Oliveira Passos, o anel viário de Corumbá deve potencializar a economia local e facilitar a mobilidade urbana do município. Com quase 12 quilômetros de extensão, o contorno liga a BR-262 ao porto seco da Agesa (Armazéns Gerais Alfandegados), na fronteira com a Bolívia. A obra foi toda realizada com recursos federais, o que, segundo o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), demonstra a generosidade do governo Lula com Corumbá. “O povo corumbaense é muito grato ao presidente pela consolidação de mais este projeto”, disse.

Para Ruiter, o acesso se torna mais uma opção para o escoamento da produção regional, inclusive de produtos oriundos da Bolívia, e melhora o trânsito na parte urbana da cidade. “Esta rota tem potencial para promover ainda mais o desenvolvimento da nossa economia, proporcionando mais riqueza para a cidade e emprego para nossa gente”, acrescentou o prefeito, durante a solenidade realizada na frente da Escola Almirante Tamandaré, no Cravo Vermelho.

Também presente à inauguração do anel viário, o senador Delcídio do Amaral (PT) lembrou dos investimentos efetuados pela União na hidrovia Paraguai-Paraná, na duplicação e recapeamento da BR-262 e da eminência da recuperação da estrada de ferro que liga o Pantanal ao interior paulista. “Corumbá se torna um grande modal de transportes”, afirmou, enfatizando que o contorno viabiliza a rota bioceânica, projeto assinado pelos presidentes Lula e Evo Morales, da Bolívia. “Estamos construindo progresso, desenvolvimento e, acima de tudo, cidadania”, reforçou.

Para o ministro Paulo Sérgio, a inauguração do anel viário de Corumbá foi possível graças à convergência entre todos os atores envolvidos no processo. “Este é um exemplo de realização da expectativa e do sonho de todos aqueles que se mobilizaram para isso”, afirmou. Ele lembrou que a obra vinha se arrastando por vários anos e foi efetivamente concluída após determinação do presidente Lula.

“Importante que este contorno se integra à BR-262, rodovia que passa por investimentos de grande valor, para sua restauração”, observou o ministro, reforçando: “Além de sua importância para o plano interno, de Mato Grosso do Sul e o Brasil, essa rodovia tem valor estratégico porque ela é rota natural no caminho da integração entre Brasil, Bolívia e Chile, como parte da rodovia bioceânica, já inteiramente pavimentada em territórios brasileiro e chileno, e a Bolívia em fase de conclusão da pavimentação do trecho que passa em seu território”.

“O anel viário é uma obra fundamental para a cidade e toda a região, pois separa o tráfego pesado do tráfego de veículos leves, aumentando eficiência do transporte e a segurança, evitando acidentes”, complementou o ministro. A atenção do Governo Federal a Corumbá também foi destacada pelo governador André Puccinelli (PMDB): “O Governo Federal entendeu a primazia, a necessidade deste anel para a região”. A construção do anel viário foi lançada em 2001 e depois paralisada por cerca de oito anos, sendo retomada em abril de 2009. Os investimentos somam R$ 12 milhões.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional