Festival transforma Corumbá na capital da cultura sul-americana

Marcos Boaventura
 

“Por meio da arte e da cultura, o Festival prepara uma América do Sul mais forte, mais coesa, rumo ao desenvolvimento”, disse o prefeito

Até domingo (2 de maio), Corumbá é a capital da cultura sul-americana com a realização do Festival América do Sul. A opinião é do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), expressa na noite desta quarta-feira (28), durante a solenidade de abertura da sétima edição do FAS. O ato ocorreu no Palco das Américas, na Praça Generoso Ponce, local que sedia, até domingo, grandes shows com artistas de renome nacional, uma parte do que reserva a festa promovida pelo Governo do Estado em parceria com a Prefeitura Municipal.

Para o prefeito, o festival transforma Corumbá na capital da Cultura da América Latina durante esses cinco dias, e esta é também uma oportunidade para o município mostrar o seu potencial cultural e histórico, além das suas belezas naturais proporcionadas pelo Pantanal, um patrimônio da humanidade.

Ruiter enalteceu a realização de mais uma edição do festival, afirmando ser uma iniciativa que, por meio da arte e da cultura, “prepara uma América do Sul mais forte, mais coesa, rumo ao desenvolvimento” e que isto está sendo conquistado “por meio da arte e da cultura, chamando a atenção para uma América Latina mais forte”.

A declaração de abertura da festa coube ao governador André Puccinelli (PMDB). Para ele, o Festival América do Sul “é um evento consolidado e torna Corumbá a capital das culturas sul-americanas. É um orgulho para Mato Grosso do Sul mostrar ao mundo a cidade mais antiga de todo o Mato Grosso integrado, com seus 233 anos”, afirmou o governador, anunciando em seguida um show pirotécnico, que marcou o início do FAS.

Presente ao ato, o senador Delcídio do Amaral (PT) também ressaltou a importância do Festival, “um evento que ninguém mais questiona, que veio para ficar na cidade mais histórica e cultural do Mato Grosso do Sul, com todo respeito às demais”. O senador pantaneiro fez também uma alusão à participação dos países sul-americanos, destacando a festa, como um “festival da integração, que está disponibilizando espaço para discutirmos a nossa história, a nossa cultura”.

O presidente da Fundação Memorial da América Latina, Fernando Lessa, parceiro na realização, destacou a importância do festival que está promovendo a integração dos povos sul-americanos, em um ano em que a grande maioria dos paises da América Latina está comemorando o bicentenário de independência, e que o FAS representa a integração dos povos que da América Latina. “É uma honra ser parceiro do festival”, observou, ressaltando que este é o segundo ano consecutivo que o festival tem a curadoria compartilhada entre a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e a Fundação Memorial da América Latina, ligada ao governo de São Paulo.

Homenagens

Durante a solenidade, foi feita uma homenagens a pessoas ligadas ao teatro, literatura, dança e artes plásticas, e personalidades importantes para a história de Corumbá, como a fundadora do Projeto Massa Barro e os festeiros do Banho de São João. E eles estavam presentes: Glória Levy (Teatro); Ignácio de Loyola Brandão (Literatura); Humberto Espíndola (Artes Plásticas); Neide Garrido (Dança); Josephina Por Deus da Silva (fundadora do Projeto Massa Barro), e as festeiras Reginalda Mendes Vera e Maria Paula da Silva – Banho de São João (Cultura).

A abertura teve direito também a apresentações de fanfarras de escolas conrumbaenses; da Guarda Comandante Cunha Couto, do 6º Distrito Naval de Ladário, responsável por um novo atrativo ladarense de todos os últimos domingo de cada mês, sempre nos finais de tarde, ao por-do-sol, em frente ao Pórtico do Distrito, em Ladário (a troca da guarda); bem como a apresentação do Banho de São João, com direito ao Santo, festeiros e muita dança e cantoria.

A solenidade, bastante concorrida, contou com a presença do prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria (PT); primeira-dama do Estado, Beth Puccinelli; primeira-dama de Campo Grande, Antonieta Trad; deputados estaduais Paulo Duarte e Pedro Teruel (ambos do PT); superintendente do Banco do Brasil, Dario Giovanella; presidente da Fundação Memorial da América Latina, Fernando Lessa; presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região, desembargador Roberto Luiz Ribeiro Haddad, além de secretários estaduais, municipais, vereadores e outras autoridades.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Social