Diocese Santa Cruz é um patrimônio de Corumbá, afirma Ruiter

Marcos Boaventura
 

“A Diocese de Corumbá é um patrimônio nosso, com toda a sua relevância na trajetória histórica do Estado”, enfatizou o prefeito

Corumbá está comemorando, nesta semana, o primeiro centenário da Diocese de Santa Cruz, criada em 5 de abril de 1910, por meio da Bula Papal “Nova Constituere”, do Papa Pio X. Como parte das celebrações, uma cerimônia na noite desta quinta-feira (8), marcou o lançamento do Brasão da instituição religiosa, apontada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) como “um patrimônio corumbaense, com relevância na trajetória histórica de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”. O chefe do executivo participou da solenidade no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez e, ao lado do bispo Dom Segismundo Martinez Alvarez, descerrou o manto que cobria o novo símbolo da Diocese.

A solenidade lotou o auditório do Centro de Convenções, marcada também pela abertura de uma exposição de fotografias que retrata a trajetória da Diocese e da Igreja Católica em Corumbá e Ladário. Acompanhado da secretária especial de Integração das Políticas Sociais, Beatriz Cavassa de Oliveira, o prefeito definiu o momento como “uma noite abençoada”. Para ele, a semana representa muito mais do que a comemoração de uma data festiva. “É a celebração de cem anos de milhares de vidas dedicadas à comunhão em Deus, aos ensinamentos de Jesus, à educação, à solidariedade e aos valores que nos fazem crescer como cristãos e nos ajudam a melhorar o mundo à nossa volta”.

Ruiter destacou ainda que os corumbaenses e ladarenses têm muito a agradecer, principalmente pelo fato de que “muito do que somos e do que conseguimos construir ao longo de mais de dois séculos de história tem a contribuição dos homens e mulheres que edificaram as paróquias da Diocese de Corumbá e as obras de educação e assistência social ligadas a ela”. Ele se referiu ao fato de que muitas conquistas pantaneiras, principalmente no que se refere à educação e às manifestações populares, foram iniciadas por “religiosos pioneiros e corajosos que escolheram este rincão do Brasil para pregar a palavra de Deus e que hoje são parte indissociável da nossa cultura e história”.

Patrimônio

Ruiter foi enfático: “a Diocese de Corumbá é um patrimônio nosso, com toda a sua relevância na trajetória histórica de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”. Ele lembrou o fato de Corumbá ter sido a primeira Diocese da região e que “daqui, os religiosos viajavam pelo norte e pelo sul, levando os ensinamentos de Cristo, pregando o amor entre as pessoas, construindo e mantendo paróquias nos lugares mais longínquos, realizando obras sociais, proporcionando educação, confortando comunidades e ajudando a povoar de forma pacífica essa porção do Brasil”.

O chefe do executivo reforçou que a população corumbaense pode conhecer parte dessa história, por meio da exposição de fotografias no saguão do Centro de Convenções, aberta ao público também na noite de quinta-feira. Ao comentar o lançamento do Brasão que simboliza a trajetória da Diocese na região, afirmou que “remete a valores a serem lembrados sempre, por cada um de nós: perseverança, coragem de fazer, força diante das dificuldades, solidariedade, amor ao próximo, abnegação, esperança em Deus, entre outros”.

Para ele, foram tais valores que contribuíram para a chegada da Missão Salesiana a Corumbá, uma instituição que idealizou uma “obra focada na educação e no atendimento social, plantando boas sementes, cultivando cidadãos de bem, trazendo dignidade para a vida de milhares de jovens e suas famílias”.

Homenagem

O prefeito não se esqueceu das pessoas que contribuíram para a construção da história local, ressaltando que as comemorações do primeiro centenário da Diocese são uma forma de homenagear também todos os que “em seus atos, dedicação do dia-a-dia e exercício de fé são os grandes responsáveis pelo que estamos vivendo hoje”.

Por fim, Ruiter fez um agradecimento a todos, na pessoa do bispo Dom Segismundo, hoje líder da Diocese de Santa Cruz, afirmando que estes benfeitores estão compartilhando do sentimento de alegria pelo centenário da Diocese de Corumbá, e que é preciso celebrar o aniversário com renovação da fé e, antes de tudo, “agradecer a benção dada”.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional