Circuito “Direito de ter Direitos” prossegue nesta quinta-feira

Clóvis Neto
 

Na abertura do circuito, realizada na semana passada, 35 jovens do Projovem assistiram à palestra do juiz Roberto Ferreira Filho

O Circuito de Palestras “Direito de ter Direito”, voltado aos moradores que integram a sexta etapa do programa Se Essa Rua Fosse Minha, tem sequência nesta quinta-feira (15). Organizada pela Subsecretaria de Ações Cidadania, por meio das gerências de Articulação de Políticas Públicas para a Mulher, de Promoção da Igualdade Racial, de Ações da Juventude e de Trabalho e Capacitação Profissional, o evento ocorre às 15 horas no plenário do Tribunal do Juri Barnabé Antônio Gondim.

O palestrante será o promotor Ricardo Melo Alves, que vai abordar o tema “Ministério Público – Os caminhos de valer nossos Direitos”. Na abertura do circuito, realizada na semana passada, 35 jovens inseridos no programa Projovem Adolescente do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS II) participaram da palestra proferida pelo juiz Roberto Ferreira Filho. O magistrado, que já ocupou a Vara da Infância e Juventude de Corumbá, abordou o tema “Juventude – Vítima ou agressora?”.

“Gostei da conversa. Aprendei muita coisa que eu não sabia, principalmente sobre os meus direitos e deveres”, comentou Renan Santos, 16 anos, morador do bairro Popular Nova. A palestra foi a primeira vez que Joélcio Ramos dos Santos teve a oportunidade de ficar frente a frente com um juiz. “Achei muito bom. Foi a primeira vez que vim ao Fórum. Nunca imaginei conversar pessoalmente com um juiz”, disse o calceteiro, residente no bairro Generoso.

Esta integração é justamente um dos objetivos do programa, conforme explicou a gerente de Políticas para a Mulher, Cristiane Sant’Anna, e coordenadora do Circuito “Direito de ter Direitos”. “Durante todo mês de abril, vamos debater questões voltadas aos direitos de todos os cidadãos, enfatizando também seus deveres como membro de uma sociedade democrática”, afirmou.

Redução na Violência

Durante sua explanação, o juiz Roberto Ferreira Filho enfatizou as questões que levam o adolescente à criminalidade, e demonstrou, por meio de estudos, que os jovens continuam sendo mais vítimas que autores de delitos graves, como o homicídio. De acordo com o Mapa da Violência 2010, estudo feito pelo sociólogo Júlio Jacobo – que esteve na cidade em maio de 2009 durante o III Encontro de Promoção do Protagonismo Juvenil, promovido pela Prefeitura – o número de mortes de adolescentes provocadas por violência caiu na região pantaneira nos últimos anos.

“Isto é fruto das políticas públicas implantadas em Corumbá e Ladário, além do aumento do efetivo policial nos dois municípios”, afirmou o magistrado. Apesar da melhora, ele enfatizou que a região ainda precisa avançar em alguns pontos. “Por isso é importante realizar eventos como este. A informação é o melhor caminho na formação de um cidadão consciente. É um dever das autoridades públicas, tanto executivas como judiciárias, buscar esta aproximação com a comunidade”, enfatizou.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional