CEREST aproveita data para alertar sobre segurança no trabalho

Marcos Boaventura
 

É necessário um grande esforço de prevenção, com a cooperação entre órgãos, empresas e sindicatos para a redução dos índices

O Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Corumbá (CEREST) realiza, no próximo sábado (1º), uma ação no centro da cidade para alertar a classe trabalhadora e os empregadores sobre a importância da conscientização e da aplicação de medidas preventivas a acidentes e doenças do trabalho. O ato faz parte da programação alusiva ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho, celebrado em 28 de abril, mas que será cumprido juntamente com as comemorações do Dia do Trabalho (ou Trabalhador).

“Minha vida, meu trabalho, meu trabalho seguro” é o lema da ação deste ano. Conforme a coordenadora do CEREST, Beatriz Assad, é preciso envolver toda a classe trabalhadora e também o empregador na questão, para tornar possível a redução de acidentes e doenças do trabalho que, além de trazer um incalculável prejuízo social, também são responsáveis por uma enorme perda econômica para o País. A ação consiste de uma blitz informativa, na esquina das ruas Frei Mariano e 13 de Junho, no período das 8h às 12 horas. “Vamos distribuir material informativo e adesivar veículos, e todo o material é focado na saúde do trabalhador, além de comemorar o Dia do Trabalho”, afirma.

A coordenadora lembra que, em 2009, o Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (CEREST) registrou, em Corumbá e Ladário, 142 atendimentos a trabalhadores acometidos por doenças e acidentes de trabalho, com três óbitos. No ano anterior, 2008, fontes do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Corumbá registraram pelo mesmo 320 casos de acidentes e doenças de trabalho nas duas cidades, com um óbito. Beatriz lembra que as estatísticas do INSS só incluem os trabalhadores registrados em carteira.

Beatriz prega um grande esforço de prevenção, por meio da cooperação entre entidades governamentais, empresas e sindicatos, para redução dos índices. Ela afirma que a ação de sábado busca justamente conscientizar a população sobre a importância de programas preventivos, para reduzir o número de acidentes e doenças do trabalho.

O CEREST é mantido pela Prefeitura Municipal. Está localizado na Rua Ladário, ao lado da Estação de Transbordo. Atende trabalhadores formais e informais, independentemente do vínculo empregatício, com o objetivo de promover a prevenção e reabilitação física e emocional, na busca por melhoria da qualidade de vida. Atualmente, o órgão conta com o atendimento do médico do trabalho, tratamento fisioterápico, avaliação e atendimento de psicólogo, nutricionista, fonoaudiólogo, serviço social, enfermeiro e odontólogo do trabalho.

Dia mundial

A data, 28 de abril, é dedicada ao Dia Mundial em Memória das Vítimas dos Acidentes de Trabalho, cuja origem foi no Canadá, em 1984, lançada por sindicatos e federações durante um Congresso do Trabalho. O próprio Canadá foi o primeiro país a reconhecer e adotar a data em 1991. É uma referência ao ocorrido em 28 de abril de 1969, nos Estados Unidos, quando 78 mineiros morreram vítimas de uma explosão na mina de Farmington, no Estado da Virgínia.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que, em todo o mundo, 6 mil trabalhadores morrem a cada dia vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, número que está aumentando. Além disso, a cada ano ocorrem 270 milhões de acidentes de trabalho não fatais (que resultam em um mínimo de três dias de falta ao trabalho) e 160 milhões de casos novos de doenças profissionais.

No Brasil, o dia foi instituído pela lei nº. 11.121/2005 para homenagear estas vítimas, mas também para alertar e impulsionar a sociedade sobre a necessidade de desenvolver formas de trabalho decentes e seguras, preservando a vida e promovendo a saúde. Isso porque, todos os anos, bilhões em recursos públicos no País são gastos com os acidentes de trabalho, já que a parte majoritária da assistência é prestada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e os benefícios por incapacidade temporária ou permanente, bem como as pensões por morte dos beneficiários, são arcados com os recursos da Previdência Social.

Em abril de 2007, entrou em vigor em todo o Brasil o Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário, mecanismo que relaciona determinada doença às atividades profissionais nas quais ocorre com maior incidência. Desde então, as notificações aumentaram em mais de 100%, pois antes, por interesses diversos, era muito mais frequente a sub-notificação de acidentes do trabalho e doenças profissionais. Muitas empresas recorriam ao subterfúgio da sub-notificação para evitar o pagamento de indenizações e da estabilidade acidentária, ao mesmo tempo em que se permitiam alardear por um falso e ilusório “índice zero” de acidentes de trabalho.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional