Prefeitura discute combate ao transporte irregular com bolivianos

Clóvis Neto
 

A intenção é trabalhar em parceria com as autoridades bolivianas, visando à integração entre as cidades brasileiras e do país vizinho

A Prefeitura de Corumbá intensificou entendimentos com as autoridades da Bolívia no sentido de coibir irregularidades no transporte de passageiros, cometidas principalmente por taxistas de origem boliviana. Na manhã desta terça-feira (16), o assunto foi abordado durante encontro de representantes da Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat) com autoridades do país vizinho, e a intenção é trabalhar de forma conjunta, inclusive por meio de ações educativas.

A diretora-presidente da Agetrat, Silvana Ricco, informou que as fiscalizações são constantes na cidade, tendo sido intensificadas a partir de janeiro deste ano. Conforme ela, a intenção é trabalhar em parceria com as autoridades bolivianas, em atendimento às ações desencadeadas na administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), visando à integração entre as cidades brasileiras e bolivianas, nesta região de fronteira.

“Foi a primeira reunião com autoridades de Puerto Suarez e tratou basicamente do transporte de passageiros”, observou Silvana, lembrando que a legislação brasileira não permite transporte de passageiros praticado por motoristas e veículos de origem estrangeira. Ela ressalta que os taxistas brasileiros conduzem os passageiros até a fronteira e, do lado boliviano, o transporte é praticado por bolivianos. Dessa forma, a diretora-presidente da Agetrat informa que a fiscalização continuará intensa em Corumbá, a cargo da própria agência e da Polícia Militar.

“Como os brasileiros se limitam à fronteira, o mesmo deveria ocorrer de lá para cá. No entanto, em muitos casos, os taxistas bolivianos atravessam a fronteira e conduzem passageiros de forma irregular no Brasil. Isto não é permitido por lei”, explicou Silvana, acrescentando: “Grande parte exerce a profissão com uma permissão expedida pelas cidades de Puerto Quijarro e Puerto Suarez. Não é um documento oficial, que é expedido por Santa Cruz. O assunto também foi tratado e solicitamos às autoridades bolivianas uma parceria no sentido de fazer um trabalho educativo do outro da fronteira”.

“Na sexta-feira (19), voltaremos a nos reunir e, dessa vez, com representantes dos sindicatos dos taxistas e mototaxistas da Bolívia e de Corumbá”, adiantou Silvana, demonstrando preocupação com as estatísticas. Neste ano, 17 veículos bolivianos foram apreendidos durante as fiscalizações, praticando transporte irregular de passageiros em território brasileiro. Por isso, as blitzes continuarão intensas, não se restringindo aos bolivianos. Brasileiros também estão sendo fiscalizados, sendo que 19 automóveis e 25 motocicletas nacionais já foram apreendidos em 2010 por irregularidades relacionadas ao transporte remunerado.

A reunião desta manhã contou com a presença de David Correa, oficial maior, e Jesus Ortiz, ambos de Puerto Suarez, bem como do presidente do Centro Boliviano 30 de Marzo, Arturo Ardaya. No próximo encontro, marcado para sexta-feira, deverão estar presentes representantes da Feira Brasbol e das feiras-livres (bolivianos). Isso porque na ocasião também serão tratados assuntos referentes ao transporte de mercadorias praticado por veículos com placas bolivianas.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional