No Clio, trabalhadoras comemoram conquista de novo emprego

 Fotos: Clóvis Neto

  
Lamartine elogia atuação das cinco trabalhadoras que, na segunda, deixam projeto e iniciam novas funções profissionais

Cinco integrantes da sexta etapa do Projeto Se Essa Rua Fosse Minha, as conhecidas calceteiras, aproveitaram a manhã deste sábado para se despedir dos companheiros com os quais estavam convivendo diariamente, na fabricação e implantação de lajotas em ruas e alamedas cidade. Elas, a partir de segunda-feira, deixam o grupo e iniciam uma nova atividade profissional: foram contratadas pela empresa Xingu e vão integrar a equipe de trabalhadores na execução das obras do anel viário da cidade.

“Estamos aproveitando esta manhã para nos despedirmos da turma”, comemorou Maria Helena Jesus da Silva, 23 anos. “A partir de segunda-feira, vamos trabalhar na Xingu e ajudar na implantação do anel viário. Devemos tudo isso ao Se Essa Rua Fosse Minha, que abriu as portas para nós cinco”, comentou.

Junto com Maria Helena, vão integrar a equipe da Xingu, Marcela Pessoa, 25 anos; Keila Aparecida Pereira, 26; Andréia Silva de Jesus, 22, e Bruna Ramos de Almeida Delgado, 20. Na segunda-feira, logo cedo, elas se apresentam ao local onde iniciaram uma nova empreitada, no Anel Viário, próximo à Agesa.

As cinco fizeram questão de participar das atividades da manhã de hoje, na Escola Municipal Clio Proença. Agradeceram a Prefeitura pelo desenvolvimento do projeto que está possibilitando um futuro melhor para elas, bem como ao “chefe Luiz Alves, que nos apoiou em todos os momentos”, afirmou Keila.

Lamentam ter que deixar o projeto antes do final da etapa, que está em pleno andamento. As jovens conversaram bastante com os secretários Lamartine de Figueiredo Costa (Ações Sociais) e Maria Lúcia Ortiz Ribeiro (Promoção da Cidadania), bem como com o deputado Paulo Duarte, presentes ao evento no Clio Proença.

Lamartine elogiou bastante a força de vontade do grupo de calceteiros, alegando que a Prefeitura está alcançando seus objetivos que é formar pessoas para o mercado de trabalho. “Esta é uma orientação do nosso prefeito Ruiter (Cunha de Oliveira) e ficamos felizes com esta notícia”, afirmou.

A ação

As cinco acompanharam de perto a ação desta manhã na escola, que atendeu os moradores do bairro Kadiwéus, além dos conjuntos Pantanal, Primavera, Piúva e Cherogamy I. As atividades fazem parte da sexta etapa do Projeto Se Essa Rua Fosse Minha desenvolvido pela Prefeitura Municipal, coordenado pela Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, e que envolve todas as demais pastas da administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira.

Além de atividades esportivas, os participantes foram atendidos com oficinas, por parte da Secretaria Executiva de Educação, além de palestras com foco no alcoolismo, a cargo da equipe do CAPSad. “São ações simples como esta que dão resultado”, observou Paulo Duarte, para em seguida, elogiar o trabalho do CAPSad: “Estas meninas são guerreiras”, se referindo às técnicas que reuniram integrantes do projeto e também da comunidade, para um trabalho de conscientização sobre as drogas.

Beatriz Cavassa de Oliveira, secretária de Integração das Políticas Sociais, já programou a próxima ação. Será dia 10 de abril, na Escola Municipal Cássio Leite de Barros. Segundo ela, esta é uma forma de atender não só as pessoas que estão participando da fabricação e implantação das lajotas e seus familiares. Beneficia também a comunidade que está sendo atendida pela benfeitoria, por meio de uma Manhã de Lazer, englobando oficinas e atividades recreativas.

  
Durante ação, palestra do CAPSad sobre drogas

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional