Fórum é prova da memória do povo corumbaense, destaca Ruiter

Clóvis Neto
 

“A homenagem aos juristas, cujas vidas serviram de inspiração para as novas gerações, é justa e oportuna”, afirmou o prefeito

Inaugurado em outubro de 2008, o novo Fórum de Corumbá recebeu na sexta-feira (26) homenagem a dois personagens importante da história recente da cidade. O Tribunal do Juri passou a se chamar “Barnabé Antônio Gondim”, juiz que exerceu sua função nesta comarca a partir de 1920, sendo assassinado em abril de 1927 em função de seu desempenho honesto. Já o Fórum ganhou nome de “Walter Mendes Garcia”, advogado militante, quatro vezes presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no município e um dos principais incentivadores da construção de um novo prédio para abrigar a Justiça na região.

“A homenagem aos grandes juristas, dos quais temos orgulho e cujas vidas serviram de inspiração para as novas gerações, é justa e mais do que oportuna”, afirmou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), durante a solenidade. Conforme o chefe do Executivo Municipal, o doutor Barnabé foi um divisor de águas para que “a comunidade corumbaense atingisse seu quadro atual de civilização, no qual o império da violência já foi substituído pelo império das leis”.

Bastante emocionado, o prefeito lembrou da ligação muito próxima que sempre teve com a família do advogado Mendes Garcia. “Sabemos do exemplo que o doutor Walter foi para sua família e do exemplo de sua carreira como advogado. Lembro que ele foi um dos pioneiros a procurar o Executivo em busca de uma parceria para a construção deste Fórum”, disse Ruiter. O prefeito também agradeceu ao deputado estadual Paulo Duarte (PT), autor do projeto de lei que nomeou o prédio e o Tribunal do Juri.

“Este projeto não foi só de vontade própria, mas resultou das sugestões que recebemos de várias pessoas”, afirmou o parlamentar, que ainda reiterou que a história do doutor Walter “se confunde com a da OAB e com a própria construção do Fórum”. O deputado lembrou que este foi apenas o segundo projeto de sua autoria que indica nome a locais ou órgãos públicos: “O primeiro foi o Centro Popular de Cultura, Esporte e Lazer Nação Guató e, agora, o Fórum, ambos localizados em nossa querida Corumbá”.

Representando o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS), o desembargador Claudionor Abss Duarte salientou que as duas homenagens foram feitas com justiça. Ele lembrou que o assassinato do juiz Barnabé Gondim foi noticiada em todo o Brasil por Gabriel Vandoni de Barros, que na época escrevia para jornais do Rio de Janeiro e São Paulo. Quanto ao advogado Mendes Garcia, o magistrado reforçou o engajamento dele na luta pela melhoria das condições de trabalho na região pantaneira. “Ele sempre defendeu a elevação desta comarca à categoria de Entrância Especial”, destacou.

O pedido foi, durante a solenidade, reiterado pelo juiz Roberto Ferreira Filho, diretor do Fórum de Corumbá. Devido à grande demanda da região, que em alguns aspectos é maior que as comarcas de Três Lagoas e Dourados, e que já funcionam como Entrância Especial, o magistrado solicitou, ainda, a criação da comarca de Ladário, que atualmente é a mesma de Corumbá.

Também presente no descerramento das placas comemorativas, o presidente da OAB/Seccional de Mato Grosso do Sul, Leonardo Duarte, parabenizou a comunidade corumbaense pela escolha dos homenageados. “Se existe uma capital cultural do Estado, esta é Corumbá, cidade que não esquece aqueles que a bem serviram”.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional