Casos de dengue se mantêm estáveis, mas ações prosseguem

Números divulgados nesta terça-feira (23) pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Executiva de Saúde Pública, mostram que houve estagnação das notificações e casos confirmados de dengue no município nos últimos dias. De acordo com a planilha das notificações de dengue, atualizada no último dia 19, o município está com um total de 777 notificações, com 123 casos confirmados. “Apesar de as notificações se manterem estáveis, com tendência de queda, não podemos relaxar. As ações devem ser intensificadas, a exemplo do que vem ocorrendo desde o início do ano”, afirma a médica veterinária Viviane Ametlla, gerente de Vigilância em Saúde da prefeitura.

Viviane lembra que as equipes de agentes de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) concluem nesta terça-feira o Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), que será importante para dar sequência aos trabalhos. “O LIRAa aponta os índices de infestação predial pelo mosquito. A partir do resultado, que será conhecido no próximo dia 25, teremos condições de traçar estratégias para prosseguir a campanha de controle e combate à dengue”, explica.

A gerente lembra que, além das ações desencadeadas em janeiro, por meio do projeto Cidadão Consciente, que mobilizou mais de 500 pessoas da prefeitura e parceiros, o Município está obrigando os proprietários e responsáveis por imóveis na área urbana a efetuar a limpeza dos locais, para acabar com os focos. “Essa decisão do prefeito Ruiter (Cunha de Oliveira – PT) foi fundamental, pois obriga todos a manter os imóveis limpos, sob risco de aplicação de multas”, observou, lembrando que, caso os responsáveis não cumpram a lei, a prefeitura efetua a limpeza dos terrenos e cobra pelos serviços.

Com relação ao último levantamento, os números de casos confirmados no centro da cidade se manteve estagnado em 31. O mesmo ocorreu no bairro Universitário, com 35, Maria Leite com 16 e Centro América com 12. Na cidade, de um modo geral, houve redução nas semanas 9 e 10, com três e dois casos, respectivamente, contra 27 da semana 8. Na semana 11, até o dia 19, não houve caso confirmado.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional