Resultado de exame sobre dengue será divulgado na sexta-feira

Até ontem, terça-feira (23), foram notificados 388 casos de dengue em Corumbá, dos quais 55 foram confirmados, de acordo com os últimos dados fornecidos pela Gerência de Vigilância em Saúde da Secretaria Executiva de Saúde Pública do Município. Enquanto isso, a Prefeitura de Corumbá investiga um caso de óbito de um homem de 39 anos, ocorrido na cidade, cuja causa do falecimento foi atestada como sendo dengue com complicação (dengue hemorrágica/falência múltipla dos órgãos). O resultado do exame sorológico será divulgado na sexta-feira (26) e permitirá a confirmação ou não da suspeita da doença.

Conforme a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, embora com este primeiro resultado – que está sendo processado no laboratório do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Corumbá – já seja possível saber com certeza se foi dengue a causa do óbito, o material será encaminhado para um laboratório em Campo Grande, para contraprova. Caso a suspeita venha a se confirmar, a investigação da Vigilância Epidemiológica identificará também se o paciente contraiu a doença em Corumbá ou em outro município.

A Secretaria Executiva de Saúde informou que vem desenvolvendo todas as ações possíveis de prevenção e combate à dengue, e que está preparada estrutural e tecnicamente para lidar com os casos confirmados. “Mesmo assim, somente o envolvimento e comprometimento da comunidade local, eliminando reservatórios de água parada, podem ter eficácia efetiva na luta contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti”, enfatizou Viviane, alertando que o índice de infestação predial do mosquito no município está em 2,5%, representando alto risco de nova epidemia da doença, caso não haja um engajamento maior e constante por parte da população.

A gerente voltou a confirmar que prossegue normalmente, até o fim de março, a mega-ação lançada pela prefeitura em janeiro deste ano e composta por quase 500 profissionais de diversas áreas, com a meta de visitar, em três meses, quase 50 mil residências em todo o município. A operação conta com 110 agentes de endemias; 152 agentes comunitários de Saúde; 50 militares da Marinha do Brasil; 40 soldados do Exercito Brasileiro; 30 alunos do Projovem Trabalhador; 30 profissionais do Prevfogo; 15 integrantes do Projeto Se Essa Rua Fosse Minha; e 50 servidores da Secretaria Executiva de Infraestrutura e Serviços Urbanos e da Unipav (limpeza pública).

Gesiel Rocha – Subsecretaria de Comunicação Institucional