Obras do Pronto Atendimento 24 horas devem começar em março

As obras da Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA 24h) devem ser iniciadas em março deste ano. O prédio contará com toda a infraestrutura necessária para atender a população da parte alta da cidade, bem como pacientes vítimas de acidentes na BR-262 e nas empresas de mineração e frigoríficos localizados na região. A unidade terá 813 metros quadrados de área construída, compreendendo oito leitos de repouso e um de isolamento, e a liberação da primeira parcela dos recursos necessários à construção já foi feita pelo Ministério da Saúde.

O UPA 24h faz parte de um programa voltado à melhoria da qualidade de prestação de serviços na área de Saúde, juntamente com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu Pantanal. Conforme o secretário executivo de Saúde Público, Lauther Serra, está previsto investimento de R$ 1,4 milhão na implantação de todo o sistema, que prevê duas bases fixas na área urbana e uma “ambulancha” para atender a comunidade ribeirinha.

O projeto está sendo coordenado pela enfermeira Thais Luzio Fernandes, especialista em Terapia Intensiva (CTI), ligada à Gerência de Gestão e Planejamento. Conforme ela, uma das medidas será a implantação do setor de Classificação de Risco em Urgências, “para que os pacientes possam ser atendidos conforme a gravidade, e não mais por ordem de chegada”, proposta do Ministério da Saúde que deve ser adotada em Corumbá a partir deste ano.

A enfermeira explica que o trabalho de classificação e atendimento será feito por uma equipe multiprofissional, com médicos, enfermeiros e demais profissionais da área da saúde. Eles contarão com os equipamentos necessários para realização de diagnósticos e definição sobre a necessidade ou não de encaminhamento para hospitalização, sempre 24 horas por dia, durante os sete dias da semana.

Segundo a gerente de Gestão e Planejamento em Saúde, Dilene Ebeling Duran, a UPA contará com salas estruturadas para intervenções de emergência, Raio X, nebulização, sala de procedimentos, de administração de medicamentos, entre outros. Ela lembra ainda que a unidade é um dos componentes da Política Nacional de Atenção às Urgências, sendo uma das prioridades do Ministério da Saúde “na tentativa de configurar resolutividade na atenção às urgências, bem como diminuir a superlotação nos grandes hospitais”.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional