Mocidade encerra desfile do grupo de acesso com ouro e glamour

Marcos Boaventura
 

A escola apostou na renovação e na criatividade de seu carnavalesco, que criou belas fantasias lembrando as riquezas do alto Paraguai

De olho no grupo especial em 2011, a Mocidade Independente da Nova Corumbá cantou as riquezas do Rio Paraguai. Foi a última escola a se apresentar na passarela do samba em Corumbá já nesta segunda-feira (15). Anunciada por uma queima de fogos, a agremiação apostou tudo no enredo “Nas águas do Paraguai, nasce um rio de esperança”, cantando as belezas e as histórias do maior rio pantaneiro, protagonista de um cenário “sem igual”.

Neste ano, a agremiação fundada em 22 de junho de 1999 por Fernanda Vanucci e presidida por João Pedro Cavassa ganhou o reforço do carnavalesco Manoelzinho, ex-Vila Mamona, hoje Mocidade. Dessa forma, fez um carnaval marcante, com 1 mil componentes divididos em 14 alas e uma comissão de frente coreografada por Joilson da Silva Cruz.

A escola exaltou suas cores, o verde, vermelho e branco. Também apostou na renovação e na criatividade de seu carnavalesco, que proporcionou belas fantasias que lembraram o ouro, riquezas do alto Paraguai; os guardiões do Forte Coimbra; a Marinha do Brasil, por meio de sua bateria; os bandeirantes na comissão de frente; os índios; portugueses; jesuítas; o camalote; o mar de Xaraés; os portos fluviais, bem como outras riquezas proporcionadas pelo Paraguai.

Tendo se apresentação já na madrugada desta segunda-feira, a Mocidade a primeira deste ano a fazer o recuo da bateria na Avenida General Rondon com a Rua Quinze de Novembro. Procurou cantar a história de uma rica região, dotada de transporte fluvial, responsável pela aproximação de povos. Em seu samba enredo, contou os mistérios e as magias das riquezas e encantos do rio Paraguai, “majestoso e cobiçado, fonte da vida que Deus Pai abençoou”.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional