Mocidade da Nova Corumbá vence e sobe para o grupo especial

Gilson de Carvalho
 

Com o enredo “Nas águas do Paraguai, nasce um rio de esperança”, a escola cantou as belezas e as histórias do maior rio pantaneiro

A Mocidade Independente da Nova Corumbá ganhou o direito de desfilar no grupo principal da Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá em 2011. Nesta quarta-feira (17), a agremiação venceu o desfile do grupo de acesso somando 178,9 pontos de 180 possíveis. Nos quesitos Bateria, Samba-Enredo, Mestre Sala e Porta-Bandeira, e Alegoria e Adereços, a Mocidade foi perfeita, com notas 10 em todos eles.

A segunda colocada foi a A Caprichosos de Corumbá com 173,8. A Marquês de Sapucaí obteve 160,4 e a Acadêmicos do Pantanal, 161 pontos. Todas as escolas desfilaram no domingo (14) e levaram mais de 40 mil pessoas à Avenida General Rondon. Após a apuração, o secretário de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marquês, que representou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) na ocasião, entregou o troféu para o presidente da Mocidade, João Pedro Cavassa.

“O fundamental para chegarmos a esta conquista foi a parceria entre a diretoria e a comunidade. Se não fosse assim, não teríamos conseguido”, afirmou Cavassa. Ele agradeceu ainda o carnavalesco Manoelzinho e ao seu assistente, Vicente, que, conforme o presidente, foram “verdadeiros heróis do carnaval”. “Dedico este prêmio a todos os funcionários da Nova Corumbá. Todos foram importantes para este momento. Para o ano que vem, vamos fazer um carnaval 100 vezes melhor que este. Vamos lutar até o fim em busca do título do grupo especial”, prometeu.

Neste ano, a Mocidade Independente da Nova Corumbá cantou as riquezas do Rio Paraguai, tendo sido última escola do grupo de acesso a se apresentar na passarela do samba em Corumbá. A agremiação mostrou o enredo “Nas águas do Paraguai, nasce um rio de esperança”, cantando as belezas e as histórias do maior rio pantaneiro, protagonista de um cenário “sem igual”.

Fundada em 22 de junho de 1999 por Fernanda Vanucci, a agremiação fez um carnaval marcante, com 1 mil componentes divididos em 14 alas e uma comissão de frente coreografada por Joilson da Silva Cruz. A escola exaltou suas cores, o verde, vermelho e branco. Também apostou na renovação e na criatividade de seu carnavalesco, que proporcionou belas fantasias que lembraram o ouro, riquezas do alto Paraguai; os guardiões do Forte Coimbra; a Marinha do Brasil, por meio de sua bateria; os bandeirantes na comissão de frente; os índios; portugueses; jesuítas; o camalote; o mar de Xaraés; os portos fluviais, bem como outras riquezas proporcionadas pelo Paraguai.

A Mocidade foi a única do grupo de acesso a utilizar o recuo da bateria na Avenida General Rondon com a Rua XV de Novembro. Procurou cantar a história de uma região rica, dotada de transporte fluvial, responsável pela aproximação de povos. Em seu samba enredo, contou os mistérios e as magias das riquezas e encantos do Rio Paraguai, “majestoso e cobiçado, fonte da vida que Deus Pai abençoou”.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional