Cordões abrem e esquentam a última noite de folia em Corumbá

Marcos Boaventura
 

Com o enredo “Alegria Alegria”, o cordão Paraíso dos Foliões trouxe 200 empolgados integrantes para a Avenida General Rondon

O Carnaval dos Velhos Tempos, iniciativa da Prefeitura de Corumbá que tem o objetivo de resgatar o romantismo do século passado, começou com os desfiles dos cordões carnavalescos, uma da mais tradicionais manifestações desta festa tipicamente brasileira. O primeiro a passar pela Avenida General Rondon na noite desta terça-feira (16) foi o Cravo Vermelho. Fundado em 1944 por Odil Xavier Flores, o cordão foi campeão por mais de 22 vezes nos desfiles da cidade. Com 150 integrantes, cantou o enredo “Cravo Vermelho Traz o Encanto do Sol na Magia do Fogo”.

O segundo a passar pela passarela do samba foi o Paraíso dos Foliões. O cordão foi fundado em 1933 com o nome de “Mama na Burra”. No ano seguinte, ganhou novo nome. Com o enredo “Alegria Alegria”, a agremiação trouxe 200 empolgados integrantes.

O Flor de Corumbá foi o terceiro cordão a desfilar. Também criado em 1933 por João Teodoro de Araújo, o popular “Peito de Aço”, o cordão desfilou até o ano de 1946. Depois retornou à passarela em 1983, já com a presidência de Alcides dos Santos Silveira, o Pombinho. Neste ano, o enredo foi “Carnaval à moda antiga” e contou com 200 componentes.

Encerrando esta primeira parte do Carnaval Cultural, o Cinelândia também teve 200 integrantes e muita alegria com o enredo “Homenagem ao Pantanal”. O cordão foi fundado em 12 de outubro de 1967, como resultado de um programa de auditório. O primeiro presidente foi José Jarbas Duarte, que comanda o bloco até hoje.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional