Carnaval de Corumbá se consolida como o melhor do Estado

Marcos Boaventura
 

Mais de 82 mil pessoas viram as escolas de samba mostrar porque o Carnaval de Corumbá é considerado o melhor do Centro-Oeste

Durante sete noites de festa – que começou na quarta-feira (10) com o bloco Sandálias de Frei Mariano e terminou na madrugada de quarta-feira (18), com o Carnaval Cultural – não faltaram opções de diversão e entretenimento para os foliões que escolheram Corumbá como destino para o carnaval deste ano. A Prefeitura Municipal, por meio da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, preparou um cronograma extenso, com atividades que atenderam tantos os turistas que chegaram à região quanto os moradores locais, que têm o carnaval como sua principal manifestação cultural.

No dia 10, o Sandálias de Frei Mariano desceu pelo sexto ano consecutivo pela Avenida General Rondon brincando com a lenda do padre e “xispando” o azar. Na sexta-feira (12), as grandes atrações foram o bloco de sujo Cibalena, que arrastou uma multidão de mais de 15 mil pessoas, quase todos travestidos com roupas do sexo oposto, e os blocos independentes.

No sábado, os blocos oficiais levaram a organização e o empenho de um longo período de trabalho. Cada grupo, além de se divertir, passou em busca do título de campeão do Carnaval 2010. Pelo terceiro ano consecutivo, o Clube dos Sem ficou com o troféu de melhor bloco. Na noite seguinte, o atrativo foi o desfile das escolas de samba do segundo grupo, ou grupo de acesso.

Acadêmicos do Pantanal, Caprichosos de Corumbá, Marques de Sapucaí e Mocidade Independente da Nova Corumbá apresentaram um grande espetáculo para um público estimado em 40 mil pessoas. Com o enredo “Nas águas do Paraguai, nasce um rio de esperança”, a Nova Corumbá conquistou o direito de desfilar no grupo especial em 2011.

Na segunda-feira (15), mais de 42 mil pessoas viram a Major Gama, a Vila Mamona, a Pesada e a Império do Morro mostrar na passarela do samba porque o Carnaval de Corumbá é considerado o melhor e mais animado de todo o Centro-Oeste brasileiro. Fantasias de luxo, carros alegóricos criativos e sofisticados e muita empolgação, tanto de quem estava desfilando quanto de quem foi só assistir, deram o tom da folia.

O show do grupo Revelação, um dos principais conjuntos de samba do país, fechou a festa em grande estilo e animação. A terça-feira foi reservada ao saudosismo. O Carnaval Cultural trouxe de volta todos os ingredientes que embalavam a folia no século passado. Os cordões Cravo Vermelho, Paraíso dos Foliões, Flor de Corumbá e Cinelândia apresentaram todo o charme e encanto dos antigos desfiles.

O Bloco de Frevo, a Ala das Pastorinhas, o Bloco dos Marinheiros e o Bloco dos Palhaços animaram o público na avenida, todos ao som de inesquecíveis marchinhas carnavalescas. Até os bonecões, trajados com temas circenses, brincaram o Carnaval na General Rondon. O desfile do Corso, com carros antigos, foi outra atração da noite, que teve ainda o show de Arlindo Cruz, um dos maiores sambistas do Brasil.

Durante o dia, a Roda de Samba no Porto Geral, a Esquina do Samba, no portal de entrada da passarela, o Carnaval dos Velhos Tempos e os Bailes Infantis – ambos realizados no Jardim da Independência –, garantiram a diversão de quem guardou fôlego para mais cedo. Outra opção cultural foi a Exposição de Fotografias dos Carnavais dos Velhos Tempos, com um grande acervo de imagens antigas que retratam a história e a tradição do povo pantaneiro. A mostra continua aberta ao público até o próximo dia 22 na Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA).

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional