Bonecões, Corso e Frevo dão sequência à folia desta terça-feira

Marcos Boaventura
 

O Bloco de Frevo levantou o público com bailarinos, bailarinas, alunos e alunas da Oficina de Dança da Fundação de Cultura e Turismo

Logo depois da passagem dos cordões carnavalescos, quatro grandes bonecões passaram pela passarela do samba, dando sequência ao Carnaval Cultural em Corumbá. Todos vieram vestidos de palhaços e embalados ao som de antigas marchinhas. Cada uma das peças mede aproximadamente 3,5 metros de altura e chega a pesar até 50 quilos. Em seguida, desfilaram os belos e antigos carros do corso.

O desfile nestes automóveis foram muito comuns até os anos 70. Os carros eram enfeitados, a maioria de modelo aberto, que traziam os foliões fantasiados. Logo na sequência, veio o Bloco de Frevo, todo ornado por bailarinos, bailarinas, alunos e alunas da Oficina de Dança da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal.

O frevo é um ritmo genuíno pernambucano, derivado da marcha, do maxixe e da capoeira, inserido na cultura de Corumbá graças ao carnaval. O frevo se caracteriza pelo ritmo extremamente acelerado e pela presença obrigatória das sombrinhas, quase sempre muito coloridas.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional