Arlindo Cruz embala multidão na última madrugada de Carnaval

Clóvis Neto
 

Arlindo Cruz e banda abriram o show por volta da 1 hora, envolvendo cada um dos quase 30 mil foliões que lotavam a Generoso Ponce

Depois de sete noites ininterruptas de folia que contagiou toda a população e atraiu mais de 20 mil turistas a Corumbá, e que começou na última quarta-feira (10) com a descida do bloco Sandálias de Frei Mariano pela passarela do samba, não podia ser diferente. A última noite do melhor carnaval do Centro-Oeste brasileiro terminou no melhor estilo e levando os foliões à loucura. O show do sambista Arlindo Cruz foi a atração encarregada de colocar a ‘cereja no sorvete’ da festa, já na madrugada desta quarta-feira (17), logo após uma noite repleta de brilho e nostalgia, proporcionados pelo Carnaval Cultural, que incluiu cordões carnavalescos, blocos tradicionais e desfile de corsos.

Arlindo Cruz e banda abriram o show por volta da 1 hora, com grande energia logo no início da apresentação, envolvendo cada um dos quase 30 mil foliões que lotavam todos os espaços da Praça Generoso Ponce. Cantou grandes sucessos do tempo em que foi integrante do grupo Fundo de Quintal, da parceria com o sambista Sombrinha e de sua própria carreira solo, além de inúmeros sons consagrados do samba brasileiro. O público não parou um só minuto enquanto ele esteve no palco, um presente que a Prefeitura de Corumbá proporcionou aos foliões corumbaenses e turistas que prestigiaram a capital pantaneira, por tão expressivo envolvimento e entrega à festa na cidade.

Revelação

Na noite anterior, madrugada de terça-feira (16), foi o grupo Revelação quem enlouqueceu os quase 30 mil foliões já extasiados pelo desfile das escolas de samba do grupo especial, que havia entrada pelas primeiras horas daquele dia. Xande de Pilares, Rogerinho, Sérgio Rufino, Mauro Junior, Artur Luís e Beto Lima conduziram o espetáculo e fizeram o público sambar muito com sucessos marcantes da carreira como “A paixão me pegou” e “Eu te quero só pra mim”. O grupo carioca que começou a carreira na década de 90 com um pagode de mesa também empolgou os presentes com sucessos do novo trabalho, como “Sina”, “Não quero dinheiro” e “Vacilão”.

Gesiel Rocha – Subsecretaria de Comunicação Institucional