Cursos de geração de renda dão nova perspectiva a 1.300 pessoas

  Clóvis Neto
  

Cerca de 110 alunos participaram ontem (4) da aula inaugural dos cursos de bolsa criativa, corte e costura e gastronomia pantaneira

Começaram ontem (4) os cursos de geração de renda do PAC-Sonho Meu. Realizadas pela Prefeitura de Corumbá com recursos do Governo Federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), as capacitações são totalmente gratuitas e oferecem nova perspectiva de vida a aproximadamente 1.300 moradores dos bairros Cristo Redentor, Popular Velha, Popular Nova, Aeroporto e Centro.

Na tarde de ontem, cerca de 110 alunos participaram da aula inaugural dos cursos de bolsa criativa, corte e costura e gastronomia pantaneira. O evento ocorreu no auditório do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), que vai ministrar as oficinas. Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a atividade que escolheram e seus professores.

“Optei pelo corte e costura porque me interesso pela atividade. Gosto de artesanato e também queria aprender um pouco mais sobre a prática da costura. É uma oportunidade até de ajudar a complementar minha renda”, disse a estudante Sindy Ellen, 16 anos, moradora do Popular Nova. O curso tem duração de 80 horas/aula.

Na fabricação e customização de bolsas, quase todos os materiais utilizados são reciclados. As alunas vão trabalhar desde o tratamento do tecido até o corte, costura e enfeite do utensílio. “Vocês terão a oportunidade de, depois de terminar este período de aprendizagem, juntarem-se com irmãs, primas, amigas e outros parentes, mesmo que seja no fundo de casa, para montar uma fábrica de bolsas. Por que não?”, sugeriu a professora Adélia Moreira.

Foi pensando nesta possibilidade que Isabel de Castro, 47 anos, e a nora, Vânia Rosimeire Campos, 23 anos, inscreveram-se na capacitação. “Pode ser uma coisa boa para toda a família”, afirmou Isabel. Vânia, que já sabe um pouco sobre costura, pensa em se especializar para garantir um futuro melhor para o filho, Luiz Mário, de apenas dois anos. “Faço tudo isso pensando nele”, disse.

Adelari Serra Cáceres, 49 anos, escolheu a gastronomia para se especializar na culinária regional. “É a primeira vez que tenho a oportunidade de aprender a cozinhar melhor. É uma ótima chance que estou buscando aproveitar”, comentou.

A assistente social Luciane Andreatta de Castro, responsável técnica e social do PAC no município, explicou que só no IHP serão 12 turmas, com 20 alunos cada uma. “Metade destas pessoas faz os cursos agora e a outra metade no segundo semestre”, lembrou. O curso de corte e costura também tem duração de 80 horas/aulas e o de gastronomia de 160 horas/aula.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional