Corumbá é referência internacional no combate a endemias

  Marcos Boaventura
  

Projeto desenvolvido pela prefeitura será aplicado no período de 2010 a 2012, a partir da experiência desencadeada em Corumbá e Quijarro

As ações de combate à raiva animal desenvolvidas pela Prefeitura de Corumbá na região de fronteira com a Bolívia servirão como referência ao Projeto CTP Eliminação da Raiva Humana transmitida pelo Animal na Argentina, Bolívia, Brasil e Peru 2010 – 2012. O trabalho foi apresentado durante reunião, em La Paz, na Bolívia, da Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial de Saúde (OPAS-OMS/Brasil) e teve aprovação de representantes dos ministérios da Saúde dos quatro países envolvidos.

As ações contra a raiva na região de fronteira fazem parte de um amplo programa desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Executiva de Saúde Pública, que atende não só Corumbá, mas as cidades bolivianas vizinhas de Puerto Quijarro e Puerto Suarez.

O trabalho foi apresentado pela médica veterinária Viviane Ametlla, gerente de Vigilância e Saúde da prefeitura, e integra um pacto firmado em 2007 pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) com as autoridades das duas cidades bolivianas, oportunidade em que o setor de saúde de Corumbá passou a desenvolver ações mais diretas naquelas localidades, não só contra a raiva, mas também outras endemias, especialmente a dengue.

O projeto desenvolvido pela Prefeitura Municipal será aplicado no período de 2010 a 2012, a partir da experiência desencadeada em Corumbá e Quijarro, especificamente. Entre as ações, estão a criação e implementação de centros municipais de zoonoses nas cidades de fronteira dos quatro países, a garantia de doses de vacinas contra raiva animal e raiva humana, por meio dos ministérios de Saúde, entre outras.

Conforme Viviane, os centros de zoonoses trabalharão de forma conjunta, desde a realização de campanhas de vacinação até a coleta de material encefálico dos animais para posterior análise. Ela lembra que, hoje, todo o material é enviado para análise na Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), em Campo Grande, sendo que, anteriormente, as autoridades bolivianas não consideravam o resultado válido, por se tratar de um laboratório internacional.

“Agora, com o termo, espera-se um acordo de trabalho em rede de laboratório para diagnóstico e vigilância da raiva em zonas de fronteira, baseados na experiência de Corumbá”, observou a médica, lembrando que, na cidade, o setor de Saúde Pública presta total assistência aos pacientes bolivianos agredidos por animais, por meio de tratamento profilático humano.

Todo o trabalho será acompanhado de perto pelas autoridades de Saúde dos quatro países que participaram da aprovação do Termo de Cooperação Técnica visando ao controle da raiva nas fronteiras. Ficou acordado também que serão realizadas reuniões trimestrais, sendo que a primeira delas ocorrerá em Corumbá, em abril de 2010.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional