Corumbá capacita vendedores e ambulantes para Carnaval 2010

Palco do melhor carnaval do Centro-Oeste brasileiro, Corumbá quer aprimorar também o setor de serviços, oferecendo alimentos e atendimento de melhor qualidade aos foliões corumbaenses e turistas que visitam a cidade no período.

Palco do melhor carnaval do Centro-Oeste brasileiro, Corumbá quer aprimorar também o setor de serviços, oferecendo alimentos e atendimento de melhor qualidade aos foliões corumbaenses e turistas que visitam a cidade no período. Para cumprir este objetivo, a Prefeitura Municipal iniciou, nesta segunda-feira (18), a capacitação de 188 candidatos às vagas para trabalhar na praça de alimentação e em todo o circuito da folia de 2010. Durante o curso, os vendedores fixos e ambulantes receberão noções sobre manipulação higiênica de alimentos e até informações turísticas e sobre o patrimônio histórico local.

O curso é uma iniciativa da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal de Corumbá, ligada à Secretaria Municipal de Gestão Governamental, por meio da Superintendência de Turismo, com a parceria das secretarias executivas de Saúde e Vigilância Sanitária e de Meio Ambiente, e ainda do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). O superintendente José de Carvalho Junior explicou que a capacitação faz parte de um processo desencadeado pela prefeitura e que terá sequência durante todo o ano, visando também aos demais eventos que integram o calendário turístico e cultural da cidade, como o Arraial do Banho de São João e o Festival Pantanal das Águas.


Ele recebeu a primeira turma da capacitação, que acontece na Sala Rio São Lourenço do Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, e comentou a necessidade de o Município estar sempre capacitando os vendedores fixos e os ambulantes, para que o público local e os turistas tenham um atendimento de qualidade, com segurança e eficácia. O superintendente explicou que, durante o Carnaval 2009, foi feita uma pesquisa de opinião pública e um dos problemas diagnosticados foi justamente a qualidade dos alimentos servidos na praça de alimentação e pelos ambulantes.


“A partir de então, decidimos capacitar todos os trabalhadores, não só para o carnaval, mas também para outros eventos que realizamos na cidade”, destacou José de Carvalho, acrescentando: “E não são apenas noções sobre alimentação. Eles também receberão outras informações, como turismo e educação patrimonial, para que nos ajudem a preservar o nosso patrimônio e tenham condições de prestar informações turísticas a quem nos visita”.

 

A capacitação está atendendo três turmas divididas nos períodos matutino, vespertino e noturno, com 20 horas/aula sobre os seguintes temas: Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA); manipulação higiênica de alimentos; contaminantes alimentares; educação patrimonial; atendimento ao cliente; princípios éticos e morais; apresentação pessoal; estratégias de criatividade para aumentar as vendas; e informações turísticas.

Ao final do curso, será expedido um certificado para quem tiver frequentado pelo menos 80% das aulas, que vão até sexta-feira (22).

 

Alimento saudável

 

O veterinário Hélvio de Barros Junqueira, chefe do setor de Vigilância Sanitária da prefeitura, é um dos professores que ministram o curso. Ao lado do também veterinário Alexandre Vasconcelos Cavassa, ele está repassando noções sobre manipulação de alimentos, doenças transmitidas por alimentos, intoxicação alimentar, entre outros temas.

 

“É de suma importância para a população consumir alimentos saudáveis, de boa qualidade. Por isso, a capacitação é importante também para que eles (vendedores e ambulantes) tenham conhecimento de suas responsabilidades com a cadeia produtiva, desde o armazenamento do alimento até o consumo final”, comentou Hélvio.

 

Ele ressalta ainda que, a partir deste programa, a Vigilância Sanitária poderá cobrar mais de todas as pessoas que trabalharem no circuito do carnaval. “Antes, eles diziam que não tinham conhecimento. Agora será diferente. Poderemos cobrar mais o que estamos repassando, tudo isso pensando sempre em disponibilizar um alimento saudável, de boa qualidade para o folião”, reforçou.

 

Neucy Maria Vilalba Vieira, 40 anos, moradora do bairro Generoso, é uma das inscritas no curso. Ela tenta uma vaga para trabalhar com a venda de espetinhos e bebidas durante o carnaval. “Como merendeira, já trabalho com alimentos e o curso será importante para aprender mais um pouco”, comentou, destacando que o carnaval será mais uma oportunidade para aumentar a renda familiar.

 

Marilaine Duran Galeano, 30 anos, moradora do centro da cidade, chegou cedo ao Centro de Convenções. Ela não conseguiu fazer a inscrição e aguardava uma desistência. Teve sorte e está participando do curso. “Sempre trabalho no carnaval. Desta vez, devido ao meu trabalho (manicure) perdi o prazo. Minha mãe, que sempre faz a inscrição, está viajando. Felizmente teve esta vaga”, comentou, ressaltando que o curso “será muito importante para a gente conhecer um pouco mais, principalmente com relação à manipulação higiênica dos alimentos”.