Carnaval 2010 gera quase 3 mil empregos diretos em Corumbá

  Marcos Boaventura
  

Os 11 blocos oficiais e os vários independentes que agitam o Carnaval de Corumbá empregaram 1 mil funcionários nos últimos dois anos

Levantamento realizado pela Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal de Corumbá mostra a importância do carnaval para a economia do município e de Mato Grosso do Sul. Do início do ano até o último dia de festa, o evento está gerando quase 3 mil empregos diretos na cidade. Em 2008 e 2009, só a Prefeitura Municipal e as prestadoras de serviços, como de segurança e os montadores, geraram 400 novos postos neste período. Os hotéis, que já estão trabalhando perto da capacidade máxima, contratam, em média, mais 14 pessoas para os dias de folia.

Mas a maior quantidade de mão de obra é empregada nos barracões dos cordões, blocos e escolas de samba. Os 11 blocos oficiais e os vários independentes que agitam o Carnaval de Corumbá empregaram, segundo a pesquisa, 1 mil funcionários nos últimos dois anos. As oito escolas de samba da cidade absorveram pelo menos mais 700 profissionais. Como os cordões são tradicionalmente formados por integrantes da mesma família, geram menos vagas. Em média, são cerca de 70 novas frentes de trabalho por ano.

A grande movimentação de turistas que procuram um dos melhores carnavais do Centro-Oeste brasileiro também aquece o setor de serviços. Nos restaurantes, pelo menos 15 novas vagas foram geradas em 2009. Na passarela pantaneira do samba, as barracas empregam, no mínimo, 270 pessoas. Já o número de vendedores ambulantes chega a 400.

“Estes números demonstram a grandeza do Carnaval de Corumbá. Além de fazer parte da cultura, da alegria e do orgulho de ser corumbaense, a festa gera emprego, renda e movimenta o comércio da região, aumentando inclusive a arrecadação do Estado”, afirmou secretário executivo de Relações Institucionais e diretor-presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Carlos Porto. “É por isso que a prefeitura investe neste evento e trabalha para que, a cada ano, o carnaval seja ainda melhor, mais bonito e mais atrativo aos turistas”, completou.

Apenas a prefeitura é responsável por quase 90% do investimento feito na realização do evento, que neste ano está orçado em R$ 2 milhões. Os outros pouco mais de 10%, ou R$ 230 mil, foram repassados pelo governo estadual. “Entendemos que o governo precisa atender outros municípios, mas só Corumbá tem o perfil de agregar valor econômico ao carnaval dentro do setor turístico do Estado, elevando a arrecadação de impostos. Por isso esperamos um apoio maior por parte do governador (André Puccinelli)”, concluiu Porto.

Rodrigo Nascimento – Subsecretário de Comunicação Institucional