Prefeitura lança Programa Minha Casa, Minha Vida no dia 30

  Marcos Boaventura
 

Conforme Ruiter, o programa vai beneficiar um público que até então não tinha grande expectativa de adquirir a casa própria

A Prefeitura de Corumbá realiza às 9 horas desta quarta-feira (30), no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, o lançamento oficial do Programa Minha Casa, Minha Vida, fruto de parceria com o Governo Federal e que vai resultar na construção de mais 1 mil unidades habitacionais na cidade. A iniciativa visa alcançar dois públicos, sendo o primeiro com renda familiar de até três salários mínimos (R$ 1.395) e o segundo de três a 10 mínimos, oferecendo financiamentos em até 25 anos via Caixa Econômica Federal. Além de doar a área, a prefeitura vai oferecer às construtoras interessadas isenção de tributos municipais e a infra-estrutura urbana, como pavimentação das vias e drenagem.

De acordo com o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), além de alcançar quem hoje mora em condições precárias (faixa até três salários) o programa vai beneficiar um público que até então não tinha grande expectativa de adquirir a casa própria. “O propósito é de absorver vários setores da sociedade, como funcionários das mineradoras e servidores públicos, entre outros segmentos”, observou, acrescentando que o cadastro deverá atrair novos empreendedores, sendo que já há três empresas interessadas na construção das casas. “Por ter subsídios do Governo Federal, o programa é interessante para todas as partes, tanto beneficiários quanto empreendedores”, disse.

Ao detalhar o programa, Ruiter explicou ainda que a Prefeitura optou pela construção de unidades verticais – em forma de sobrados –, devido à pouca disponibilidade de áreas físicas, visando assim aproveitar bem o espaço existente no perímetro urbano. No entanto, ele garantiu que as unidades vão respeitar os critérios de conforto e espaços de lazer e convivência social, além de levar em conta a temperatura corumbaense. “Caso o valor dos imóveis fique elevado em função desses aspectos que estamos levando em consideração, a prefeitura poderá dar o suporte necessário para que os imóveis continuem viáveis ao público-alvo”, completou.

PAHS

Além do programa a ser lançado na quarta-feira, o prefeito lembrou que o servidor municipal efetivo tem mais uma vantagem, que é o Programa de Auxílio Habitacional ao Servidor (PAHS), por meio do qual o Município paga até 50% do valor da prestação da casa, limitado a meio salário mínimo. “Isso significa que, para um imóvel de R$ 50 mil, por exemplo, financiado em 25 anos, a parcela é de R$ 280 por mês. Se o funcionário for efetivo, ele paga R$ 140 e o Município paga os outros R$ 140. No final, o servidor terá um imóvel de R$ 50 mil sob sua titularidade”, explicou.

Gesiel Rocha – Subsecretaria de Comunicação Institucional