Projeto busca integração das famílias atendidas pelo PETI

  Clóvis Neto
  

Projeto surgiu da necessidade de promover maior integração do programa com as famílias das crianças atendidas

Maior integração das famílias com o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) para o perfeito desenvolvimento das crianças e adolescentes. Este é o objetivo do projeto “Conaca – Construindo um novo amanhã para as Crianças e Adolescentes”, desenvolvido pela instituição ao longo deste ano. Hoje (10), está sendo cumprida mais uma etapa do trabalho iniciado em março, com a realização de palestra com o tema “Drogas e suas consequências”, dirigida a adolescentes com idade entre 12 e 15 anos, e outra com o mesmo tema voltada às famílias desses jovens.

Idealizada pela psicóloga do PETI, Terezinha Luisa José Mansur, o projeto surgiu da necessidade de promover maior integração do programa com as famílias, visando ao aperfeiçoamento do trabalho desenvolvido com crianças e adolescentes. “Hoje, atendemos cerca de 180 crianças de 7 a 15 anos. Observamos que as famílias precisam estar mais próximas da instituição, trabalhando de forma conjunta para a formação desses cidadãos”, explicou.

Terezinha adiantou que, por meio do projeto Conaca, o PETI está desenvolvendo uma série de atividades desde o início do ano, envolvendo não só crianças, mas também suas famílias. Na manhã de hoje, ocorreu o primeiro contato de uma equipe do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS ad) com as famílias e adolescentes atendidos pelo programa durante o período matutino. O mesmo tema está sendo repetido à tarde, com o grupo do período vespertino.

As palestras estão a cargo das psicólogas Silvia Freire e Daiane Garcia, além da terapeuta ocupacional Liliane Almeida. As profissionais fizeram uma explanação sobre o trabalho desenvolvido pelo CAPS ad e aproveitaram para abordar a importância da família no desenvolvimento da criança e do adolescente, quais as formas de identificação do uso de drogas (lícitas ou ilícitas), o que fazer e como orientar, além da questão do álcool e substâncias psicoativas.

Terezinha Luisa informou que, além das palestras de hoje, o PETI prepara uma nova ação, como encerramento do ano, que ocorrerá no segundo semestre. “Na ocasião, vamos apresentar um vídeo aos pais, intitulado ‘As crianças invisíveis’, que aborda justamente o problema das crianças nas ruas, onde acabam se marginalizando, ficando sujeitas a todos os tipos de violência.”, acrescentou.

A psicóloga destacou que o projeto desenvolvido no PETI visa justamente evitar que as crianças e adolescentes atendidos pela instituição cheguem às ruas. Conforme ela, a participação da família nesse processo é fundamental, tornando mais fácil o trabalho preventivo e de combate à violência contra essa faixa etária.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional