Mergulho contemplativo, uma atração no Pantanal de Corumbá

Trocar a vara de pesca por máscaras, nadadeiras e o snorkel (respirador) e mergulhar nas águas cristalinas existentes na região do Pantanal de Corumbá, é uma boa opção para quem gosta de conviver com a natureza e passar momentos de grandes emoções.

Trocar a vara de pesca por máscaras, nadadeiras e o snorkel (respirador) e mergulhar nas águas cristalinas existentes na região do Pantanal de Corumbá, é uma boa opção para quem gosta de conviver com a natureza e passar momentos de grandes emoções. Quem atesta esta prática é o advogado Ricardo Kassar, 53 anos, um corumbaense nato que, há mais de 33 anos, pratica este esporte nos chamados corixos pantaneiros, repletos de peixes, inclusive o tucunaré da Amazônia, e de uma vegetação subaquática das mais variadas cores. Hoje ele está meio afastado destas atividades, mas atesta ser uma aventura imperdível.

Com o início da piracema, os setores ligados ao turismo de Corumbá, em especial as empresas proprietárias dos barcos-hotéis, especialistas em pesca esportiva, enfrentam queda no faturamento e muitos são obrigados a demitir. Hoje, querem expandir suas atividades, criando opções como viagens pelo Pantanal, para o turismo contemplativo e outros tipos de aventura.

Para Kassar, o mergulho é a opção para este período de piracema. “O Pantanal de Corumbá oferece mais esta opção. Acredito que seria um grande segmento do turismo para ser exercido. Não há nada que proíba. Você vai estar participando de uma atividade que oferece um enorme prazer”, diz o especialista.

No entender do advogado, esta prática já é uma realidade no Pantanal de Corumbá. “Temos vários pontos de mergulho, especialmente na região do Porto São Pedro”, diz ele, se referindo à localidade do Xané, no Paiguás. “Lá, nõs temos vários corixos de água cristalina como o São José, Piúva, o Mata Cachorro, dos Porcos, enfim, uma infinidade de corixos que propiciam a prática do mergulho contemplativo, o mergulho de flutuação”.

“Quem pratica este esporte, se deslumbra com o visual. Eu, particularmente, me desligo do mundo. É uma atividade que envolve a gente de forma intensa. Recarrega as energias. Volta novo”, comemora.

E motivos para isto ele tem de sobra e faz questão de repassar àquelas pessoas que tenham interesse na prática do mergulho contemplativo. “Além de você poder se deliciar com a fauna ictiológica, existe uma flora exuberante, com vários tipos de vegetação subaquáticas, as que emergem. Enfim, é uma atividade que te envolve, faz você se esquecer dos problemas do mundo externo. A partir do momento que você faz o mergulho de contemplação, você se envolve com o meio ambiente e se esquece de tudo”, diz.

Uma coisa porém, ele garante. Os momentos submersos nas águas cristalinas do Pantanal corumbaense, jamais serão esquecidos. A beleza exuberante que estes locais proporcionam, na opinião de Ricardo Kassar, são inimagináveis. “Eu costumo sempre dizer: o ‘bonito’ do Pantanal é aqui, em Corumbá. É só uma questão de conhecer”, complementa, anunciando que está desenvolvendo um projeto para mostrar todas estas belezas mundo afora.