Escolas e creches da Reme realizam Avaliação Institucional

  Marcos Boaventura
  

Neste ano, cerca de 6 mil alunos, a partir dos 12 anos, 3,5 mil pais e 1,5 mil servidores participarão do processo

As escolas e creches da Rede Municipal de Ensino de Corumbá (Reme) respondem, de hoje (24) até o próximo sábado (28), aos questionários da Avaliação Institucional. De acordo com a Secretaria Executiva de Educação, trata-se de um processo de acompanhamento da vida educacional, que visa à análise simultânea de suas diversas esferas de atuação – ensino, pesquisa e gestão em todas as instâncias da escola e da própria secretaria. “O propósito é criar bases para um processo de contínuo aperfeiçoamento de todos os representantes dos segmentos que compõem a comunidade escolar e do órgão central da educação pública municipal: gestores, alunos, docentes, servidores e pais”, explicou o secretário Hélio de Lima.

O atual modelo de avaliação foi implantado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) em 2006. Neste ano, cerca de 6 mil alunos, a partir dos 12 anos, 3,5 mil pais e 1,5 mil servidores participarão do processo. “A avaliação busca ser uma estratégia para a identificação das insuficiências e das potencialidades de instituições e do sistema, com vistas à melhoria e mudanças em seu funcionamento ou, ainda, ser um processo de autoconhecimento e tomada de decisões, visando aperfeiçoar o funcionamento e alcançar melhores resultados em seus propósitos, assegurando relevância e qualidade”, complementou Hélio.

Nesta perspectiva, ainda conforme a secretaria executiva, a Avaliação Institucional deverá atuar como um instrumento pedagógico para auxiliar no processo educativo a ser utilizado para fortalecer a construção de uma educação democrática. “A avaliação da escola é fundamental, uma vez que as ações realizadas no âmbito administrativo e pedagógico são ampliadas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº. 9394/96, em seu artigo 12, sendo incumbência da escola: elaborar e executar a sua proposta pedagógica, administrar seu pessoal e seus recursos materiais e financeiros, acompanhar a efetivação do plano de trabalho dos seus professores, integrar as famílias e a comunidade à escola”, acrescentou o secretário.

Conforme Hélio, a proposta da Avaliação Institucional mais democrática acentua-se por se adotar, como outro princípio básico, a necessidade de avaliar os dirigentes escolares e toda a equipe técnica da Secretaria Executiva de Educação. “Isso significa que a avaliação dos órgãos sistêmicos é de grande relevância para que sejam efetivadas as correções dos problemas gerenciais detectados no comando central da administração da educação municipal. Não é, portanto, uma avaliação que só constata, mas é, principalmente, uma avaliação que indica caminhos”, completou.

Subsecretaria de Comunicação Institucional