Em 2009, Peti tirou 219 crianças da situação de vulnerabilidade

 Marcos Boaventura
  

Programa busca a inclusão social dos alunos e seus familiares

O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) já atendeu, neste ano, 219 crianças e 126 famílias, todas em situação de vulnerabilidade social. Funcionando no sistema de jornada ampliada, no qual quem estuda pela manhã frequenta o programa à tarde e vice-versa, a iniciativa busca a inclusão social dos alunos e seus familiares. Para isso, a coordenação e os educadores trabalham em diferentes vertentes. Uma delas é a “Ação em Família”, que faz com que todos os envolvidos possam perceber a participação individual e coletiva na socialização dos jovens, proporcionando-lhes identificarem-se como integrantes do meio social, econômico e político.

Por meio do “Teatro”, os alunos produzem o cenário e a apresentação de peças que refletem o cotidiano deles próprios. Com o projeto “Passatempo”, eles têm oportunidade de fazer passeios, brincadeiras e jogos educativos. A leitura, a análise de filmes e vídeo são atividades do “Informação”. Já o “Inclusão Social Através do Artesanato” beneficia diretamente as famílias.

“Hoje temos 21 famílias no projeto de geração de renda”, disse a coordenadora do Peti, Adelaide Maria Dias da Cruz, lembrando que todos os atendidos pelo programa são encaminhados pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). A equipe do Peti é formada por 12 educadores, quatro monitores, um psicólogo e um coordenador.

O programa possuiu dois ônibus que buscam e deixam as crianças em casa. É feito um controle de frequência por faixa etária e, em caso de falta repetitiva, a psicóloga faz o acompanhamento, individual e em grupo, de toda a família. Depois de completarem 15 dias, os alunos que participam do Peti são encaminhados para o Pró-Jovem.

Passeios

Só em 2009, as crianças que participam do projeto “Pé na Bola”, que ensina futsal aos alunos, realizaram duas viagens, uma para Bonito e outra para Miranda. Corumbá também sediou uma destas competições: a 2ª Copa Peti trouxe à cidade jovens de Santa Cruz, na Bolívia, e de Miranda.

No encerramento da Caravana MS Contra o Trabalho Infantil, que ocorreu em outubro, em Campo Grande, foi um aluno do Peti de Corumbá que leu a mensagem final do evento. Em 12 de junho, Dia Mundial do Peti, várias atividades foram realizadas na Praça Generoso Ponce. “Nosso objetivo é sempre tirar estas crianças das ruas”, completou Adelaide.

Rodrigo Nascimento – Subsecretaria de Comunicação Institucional