Corumbá já tem Plano de Ação para o PAC das Cidades Históricas

 Arquivo PMC

  
Plano prevê ações principalmente na orla do rio Paraguai

A Prefeitura de Corumbá encaminhou, na terça-feira (3), o Plano de Ação que estabelece as intervenções no Município, um dos 173 do Brasil que integram o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, do Governo Federal. O documento foi elaborado por uma equipe técnica da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Integrado e contempla as mais diferentes linhas de ação, desde difusão e promoção do patrimônio cultural até execução de obras de infraestrutura urbana e social.

O Plano de Ação foi encaminhado diretamente ao Ministério da Cultura (MinC) e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), responsáveis pelo PAC das Cidades Históricas. A informação é da arquiteta Tânia Dantas, subsecretária de Obras e Projetos e responsável pela coordenação do programa no Município, juntamente com a também arquiteta Lauzie Mohamed Xavier.

O documento contempla propostas de intervenções que atendem os principais objetivos do PAC das Cidades Históricas, tais como: promoção da requalificação urbanística dos sítios históricos, bem como o estímulo a usos que promovam o desenvolvimento econômico, social e cultural; investimento na infraestrutura urbana e social; recuperação de monumentos e imóveis públicos; fomento às cadeias produtivas locais; e ainda promoção nacional e internacional do patrimônio cultural representado pelas cidades históricas a partir do viés do turismo.

Tânia destacou a importância de Corumbá ter sido inserida no PAC das Cidades Históricas, que prevê investimentos em 173 municípios brasileiros. “Estamos sendo contemplados, já a partir deste ano, com a recuperação e restauração do antigo prédio da Alfândega, no Porto Geral, que será transformado em um anexo do Campus Pantanal da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso Sul). Agora, encaminhamos esse plano e vamos aguardar aprovação dos projetos, cujo prazo de execução vai de 2010 a 2012″, argumentou.

Transformação

A subsecretária explicou que, no plano, estão previstas recuperação e revitalização do antigo prédio da Prefeitura de Corumbá, onde hoje funciona a Secretaria Executiva de Assistência Social; construção do viaduto da Avenida General Rondon, entre as ruas Frei Mariano e Antônio Maria Coelho, inclusive com um elevador panorâmico; reformas de escolas, com destaque da Luis de Albuquerque, no Distrito de Albuquerque; construção de uma praça com monumento, também em Albuquerque, onde ocorreu a fundação de Corumbá; e implantação de um calçadão na Rua Delamare, entre as ruas Antônio Maria e Frei Mariano.

Também integram o documento a revitalização da Estação de Transbordo e a recuperação do prédio ao lado para implantação do futuro Mercado do Produtor; intervenção e padronização de todas as esquinas existentes na área central, até a Rua Porto Carrero, com implantação de acessibilidades; revitalização do centro, com padronização do piso das calçadas (também com acessibilidade) e melhoria do pavimento (paralelepípedo); aterramento de toda a fiação da região do Porto Geral; melhorias urbanas com estabilização de encostas (drenagem e realocação habitacional); implantação de oficinas de artesanato; capacitação de agentes de turismo; divulgação da história e cultura corumbaenses, e seu patrimônio, aos alunos da Rede Municipal; revitalização de praças, entre outras benfeitorias.

“São intervenções importantes e, paralelamente ao envio do Plano de Ação, já estamos trabalhando nos projetos executivos, que serão fundamentais para a captação dos recursos”, lembrou. Segundo ela, grande parte das obras já está projetada, o que deverá ajudar na aprovação em Brasília-DF, no Ministério da Cultura e Iphan. A engenheira destaca também, como ponto positivo, o trabalho em sintonia com o Governo Federal. “O Iphan é nosso parceiro. Temos um ótimo diálogo e tudo isto contribui”, afirma.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional