Vida de Dom Pedro I é encenada em peça teatral em Corumbá

A vida de Dom Pedro I, monarca brasileiro que proclamou a Independência do País, será encenada em peça teatral a partir de amanhã (14), no anfiteatro Salomão Baruki. Serão três apresentações (dias 14, 15 e 16), sempre às 15 horas, com entrada franca. A peça é uma realização da Prefeitura de Corumbá, por meio da Superintendência de Cultura, da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal.

A autoria do espetáculo é de John Vaz, que interpreta o papel principal em Dom Pedro I – Espetáculo Maçônico. As cenas se passam dentro de uma loja maçônica do Grande Oriente Lusitano de Lisboa, em 1834, onde Pedro IV de Portugal (Pedro I para os brasileiros) faz um relato detalhado de toda a trajetória de sua vida.

A apresentação relata desde a chegada da família real ao Brasil, em 1808, passando pela regência do pai de Dom Pedro I, o retorno a Portugal, a regência, os bastidores do “Dia do Fico” e da “Independência do Brasil”, a abdicação ao trono brasileiro e português, a deposição de sua filha Maria como rainha de Portugal, até a guerra que travou com irmão Miguel pelo trono português.

Figuras como Gonçalves Ledo e José Bonifácio ganham destaque na peça. Além de inédita, a montagem é uma verdadeira aula de história, de utilidade cultural e educativa. Para a pesquisa do texto, foi feito um levantamento das fontes históricas, das atas das lojas maçônicas Comércio e Artes do Rio de Janeiro-RJ e dos relatos do Museu Maçônico do Grande Oriente Lusitano, em Portugal.

Currículo

O ator e diretor de artes cênicas John Vaz é maçom da Loja Triunfo do Brasil, e especialista em interpretar personalidades históricas. Entre 1999 e 2007, foi Coordenador do Teatro Museu da República, do Rio de Janeiro-RJ.

Conhecido como “O Mil Caras do Teatro Brasileiro”, referência dada em matéria do jornal O Globo, Vaz tem em sua galeria de personagens o poeta e ator francês Antonin Artaud, o filósofo marxista Louis Althusser, o seringueiro Chico Mendes, o presidente bossa nova Juscelino Kubitschek (com o qual foi premiado com a Medalha JK 2002), o presidente deposto João Goulart, o revolucionário Che Guevara e, agora, o imperador D. Pedro I.

Na televisão, Vaz interpretou João Goulart na minissérie “JK” (2006), participou da minissérie “Amazônia” (2007) e das novelas “Belíssima” (2005/2006), e “Beleza Pura” (2008), interpretando papel de policial nas duas últimas, sendo todos os trabalhos para TV Globo. No cinema, interpretou Che Guevara, em exposição multimídia com direção de Gringo Cárdia (2007).

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional