Prefeitura prepara grande mutirão conjunto de combate à dengue

  Marcos Boaventura
  

O trabalho envolverá agentes de saúde da família e de endemias, que desenvolverão ação integrada com o zoneamento compartilhado

Com início do período de chuvas, a Prefeitura de Corumbá já está articulando um mutirão contra a dengue para o mês de novembro. Será o primeiro grande trabalho envolvendo os agentes de saúde da família e de endemias que, a partir de agora, passam a desenvolver ação integrada, com o zoneamento compartilhado, estratégia adotada pela Secretaria Municipal de Ações Sociais, por meio da Secretaria Executiva de Saúde, visando à prevenção e combate à doença.

Foi o que informou, na manhã de hoje (29), a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla. “Todas as providências estão sendo tomadas, principalmente visando à eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti”, disse a veterinária, adiantando que, no início de novembro, será realizado o Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), para descobrir o índice atual de infestação do mosquito transmissor da doença.

Viviane explicou que o LIRAa programado para novembro será importante para estabelecer o desenvolvimento de ações específicas na cidade, especialmente em regiões com maior infestação. O último levantamento na cidade apontou uma incidência de 0,5%, abaixo do aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 1%.

Mesmo assim, ela enfatiza que há preocupação com relação à doença no Município. Isso porque, na semana passada, ocorreram três casos de dengue na cidade, após um longo período sem registro. “Não podemos descuidar. O trabalho tem que ser contínuo, principalmente com aumento das chuvas”, lembrou.

Além do mutirão, Viviane informou que a prefeitura está adquirindo mais 10 mil capas (tipo telas) para cobertura de caixas de água ao nível do solo, apontadas como locais de maior incidência de infestação do mosquito. “As capas se mostraram mais eficientes do que as trouxinhas instaladas nos reservatórios, contendo larvicida. Por isso, optamos por este tipo de material”, comentou.

Ação conjunta

A gerente informa também que as ações conjuntas dos agentes de saúde da família e de endemias serão importantes para conscientizar a população sobre a necessidade de se eliminar focos da doença. Conforme ela, a partir do zoneamento compartilhado, a atuação será mais rápida e eficaz, a partir de um levantamento minucioso da situação da doença em um prazo de 20 em 20 dias, ao contrário do que ocorria anteriormente, de dois em dois meses.

A ação compartilhada será executada por uma equipe composta por 245 servidores da Secretaria Executiva de Saúde. Viviane lembra que esse tipo de trabalho já ocorre com sucesso em outras localidades, e que, em Corumbá, será feito por setor. A cidade foi divida em seis regiões, sendo que cada uma delas contará com uma equipe integrada por agentes de endemias e de saúde da família, ampliando o número de técnicos. Isso permitirá uma atuação mais eficaz e maior frequência nas visitações domiciliares.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional