Obras do viaduto da 13 de Junho serão lançadas hoje às 17h30

  Gilson de Carvalho
  

Construído à base de concreto pré-moldado, o viaduto terá 90 metros de extensão, devendo ficar pronto em 10 meses

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) autoriza, às 17h30 de hoje (20), o início das obras do viaduto da Rua 13 de Junho, sobre a depressão localizada entre as ruas Luis Feitosa e Firmo de Matos, permitindo a ligação do centro da cidade com o bairro Arthur Marinho. O ato tem presença confirmada do deputado estadual Paulo Duarte (PT), que viabilizou R$ 1.482.100 do governo federal para o empreendimento. No total, os investimentos somam R$ 2.679.271, sendo que o restante (R$ 1.197.171) vêm de contrapartida da Prefeitura de Corumbá.

O viaduto é considerado essencial para a cidade. De acordo com o prefeito, a obra será responsável pela melhoria do sistema viário da região central, desafogando o tráfego da Rua Dom Aquino, considerado o mais intenso de toda a área urbana do Município, além de ser a principal via de acesso à fronteira com a Bolívia. Quando ficar pronto, o empreendimento vai garantir maior acessibilidade e mobilidade urbana, tornando-se nova alternativa para o tráfego de veículos e de pedestres.

Na época em que o deputado Paulo Duarte conseguiu os recursos do governo federal para aplicação em obras de infraestrutura na cidade, o prefeito optou pelo viaduto, por considerá-lo de extrema importância para o sistema viário local. A verba foi viabilizada do orçamento do Ministério das Cidades, a partir de entendimentos do parlamentar com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo.

A obra

O viaduto da Rua 13 de Junho terá 90 metros de extensão por 12 metros de largura, incluindo calçadas nos dois lados. Será construído à base de concreto protendido e concreto pré-moldado, e a expectativa é que esteja concluído em 10 meses. A obra será construída pela empresa Azevedo & Anjos Ltda., vencedora do processo licitatório.

Para o secretário executivo de Infraestrutura e Serviços Urbano, Ricardo Ametlla, a obra será a “solução de um dos problemas viários mais sérios da cidade”. Ele acrescenta que, atualmente, o fluxo de veículos pela Rua Dom Aquino é intenso, apresentando até mesmo riscos de acidentes envolvendo veículos e pedestres. “A Dom Aquino é a principal ligação do centro com a fronteira com a Bolívia. Além disso, está ocorrendo uma grande expansão demográfica na região oeste da cidade, o que aumenta o fluxo de veículos, inclusive de caminhões”, completa.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Social