Jovens aprendem novas técnicas para trabalho com cerâmica

 Marcos Boaventura

  

 Material produzido durante curso está em exposição na Casa do Massa Barro

Após 36 dias, jovens da Casa Massa Barro concluíram nesta terça-feira, a Oficina Escultura em Cerâmica, ministrada pelo artista plástico Wandecok Cavalcanti. O ato foi marcado por uma solenidade na própria instituição, localizada no bairro da Cervejaria, com uma exposição das cerca de 130 peças produzidas pelos artesãos, que utilizaram técnicas aperfeiçoadas, com utilização de material sem qualquer tipo de produto tóxico.

A oficina teve uma duração de 240 horas/aula. Além de novas técnicas, Wandecok possibilitou durante o período, inovação das peças produzidas pelos artistas da Casa Massa Barro, com novos designs, considerados importantes pelo coordenador do grupo, Enilson de Campos. Ele informou que a capacitação, além de mostrar técnicas para não se utilizar material tóxico, apenas “o pigmento natural do material (argila), representa também a valorização do trabalho de todos”.

“Só temos a ganhar. Alguns já haviam feito este curso através do Sebrae. Fizeram novamente para aprimorar as técnicas, já que quanto mais conhecimento, melhor”, afirmou Enilson. Segundo ele, através dessa capacitação, todos estão em condições de produzir artesanato mais resistente e com maior durabilidade, e que esta evolução vai possibilitar que todos sejam mais “conhecidos e, este é o nosso objetivo”.

A Casa Massa Barro completou 27 anos agora, em 4 de outubro. O curso serviu para marcar a data. Wandecok informou que o rendimento foi acima do esperado. “A previsão era produção de 50 peças durante o período. Chegamos quase a 130. São peças com tonalidade diferente, nada de produto químico, somente a argila”, destacou. Segundo ele, no período, foi possível fazer um levantamento do tipo de material (artesanato) produzido no local; avaliação do aluno, por parte do professor, bem como avaliação do professor por parte do aluno. “Foi uma evolução”, destacou, lembrando um convívio de forma mais desinibida entre eles mesmos, e inovação do trabalho.

Exposição

A mostra dos material produzido durante o curso foi prestigiada por um bom público. Entre os presentes, o secretário de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques (representou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira); a superintendente de Cultura da Prefeitura, Heloisa Helena da Costa Urt; Cleto Leite de Barros, entre outros.

Cássio destacou na solenidade que a meta agora é “construir caminhos” para que os artesãos possam “realmente sobreviver, de forma digna, com o trabalho que eles desenvolvem na Casa Massa Barro”. Informou que este é um dos compromissos do prefeito Ruiter Cunha, bem como viabilizar projetos, futuras parcerias, para que o local volte a atender as crianças.

Hoje, 40 jovens integram o programa. Todos acima de 16 anos. A meta é fazer com que os menores de 15 voltem a frequentar o local, “aprendendo a arte e não ficando pelas ruas”, afirmou Heloisa Helena. Ela destacou a realização do curso, a parceria com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, e a atuação de Wandecok que permitiu aperfeiçoamento de novas técnicas para melhorar ainda mais o artesanato de “toda equipe da Casa Massa Barro”.

A oficina foi uma realização em parceria da Prefeitura Municipal de Corumbá, através da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal (Superintendência de Cultura), com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional