Vacinação contra raiva em equinos será no dia 9 em Corumbá

 Arquivo PMC

  
Ação será desencadeada também na zona rural de Corumbá

A Prefeitura de Corumbá programou para o dia 9 de setembro, uma campanha de vacinação anti-rábica de equinos existentes na área urbana do município. O trabalho será desenvolvido em parceria pela Secretaria Executiva de Desenvolvimento Agropecuário, ligada à pasta da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Produção Rural, e Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), com apoio da Agroline e Lidas de Campo, empresas privadas que doaram as vacinas.

A campanha será desenvolvida no horário das 13h30 às 17h30, em um posto de vacinação que será montado no pátio da antiga estação ferroviária. Pedro Lacerda, secretário de Desenvolvimento Agropecuário, informou que três equipes estarão trabalhando no dia e a expectativa é imunizar cerca de 500 animais que circulam diariamente na cidade, especialmente aqueles utilizados por carroceiros.

A vacinação faz parte da campanha de controle da raiva, entre as quais as ações educativas e preventivas no estímulo à imunização de herbívoros (bois, vacas, cavalos, cabras, ovelhas, etc.).  Deve ser realizada anualmente em equinos a partir do sexto mês de vida, gratuitamente. É obrigatória, principalmente pelo fato da raiva em herbívoros ser endêmica na região.

Lacerda explicou que, nesta etapa, serão imunizados apenas os animais existentes na área urbana. Em um segundo momento, a ação será desencadeada nos assentamentos rurais existentes na região pantaneira.

A doença

A raiva é uma doença que ocorre nos mamíferos (cães, gatos, bois, cavalos, ovelhas, cabritos, morcegos, etc) e pode ser transmitida aos homens sendo mortal, pois afeta o sistema nervoso. A transmissão ocorre quando o vírus causador da raiva, que está presente na saliva do animal infectado, penetra no organismo do homem através de mordedura ou lambedura.

Até o ano de 2004, no Brasil o principal transmissor da raiva ao homem era o cão. Mas, segundo a Fundação Nacional de Saúde o morcego assumiu o primeiro lugar após alguns surtos epidêmicos na região norte do país.

Todas as espécies de morcegos podem transmitir a raiva e não devem ser capturados. São os morcegos hematófagos, que se alimentam de sangue de bois, cavalos, ovelhas, entre outras espécies, que transmitem a raiva. Por isso a recomendação de se vacinar os animais de produção.

No Brasil, no período de 1986 a 2005, foram registradas 743 mortes humanas por raiva. Desde junho de 2005, vem ocorrendo um surto de raiva humana no estado do Pará, onde já morreram mais de 20 pessoas e, mais recentemente, no estado do Maranhão, matando 23 pessoas.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional