Nova Corumbá ‘dança’ ao som da Banda Manoel Florêncio

 Gilson de Carvalho

  
Apresentação atraiu bom público na Nova Corumbá

A abertura da semana cultural comemorativa aos 231 anos de Corumbá atraiu um bom público na noite de ontem, segunda-feira, em três regiões da cidade, para presenciar as apresentações simultâneas da Banda de Música Manoel Florêncio, da Oficina de Dança do Pantanal e do Coral Cidade Branca, que ocorreram na Nova Corumbá, Aeroporto e Cervejaria, respectivamente. Durante uma hora, os moradores tiveram oportunidade de conhecer um pouco mais da cultura corumbaense, proporcionada por jovens valores formados em projetos desenvolvidos pela Prefeitura Municipal, através da Superintendência de Cultura, ligada à Fundação de Cultura e Turismo.

As três apresentações integram a programação do aniversário da cidade e acontecem até sexta-feira, dia 18 de setembro, percorrendo as regiões da Nova Corumbá, Aeroporto, Cristo Redentor, Previsul, Universitário, Dom Bosco, Cervejaria, Anel Viário e centro.

Na Nova Corumbá, por exemplo, o asfalto da rua Paraíba, em frente à praça do bairro, foi transformado em um palco improvisado. Os 40 integrantes da Banda Manoel Florêncio, durante uma hora, brindaram o público com muita música popular brasileira, samba, pagode e regional.

A apresentação atraiu pessoas de todas as idades, até mesmo mães com crianças no colo ou em carrinhos. O início de noite para a comunidade foi diferente, conforme testemunho de Regina Aldama Vieira, 47 anos. Com uma criança no colo, ele ensaiava alguns passos, cantava e dizia estar satisfeita. “Muito bom. Está alegrando a nossa segunda-feira”, comentou.

Do outro lado da rua, os músicos mantinham o ritmo alegre, atraindo cada vez mais os moradores da região, inclusive crianças que gostariam de estar integrando a banda, naquele momento. É o caso do pequeno Lucas de Paula, 10 anos. Ele acompanha a apresentação de perto. Cantarolava e dizia que a música faz parte da sua vida.

Revelou que estuda música há um ao e meio, no Moinho Cultural. “Faço flauta transversal”, comentou, para em seguida dizer que gostaria de estar “lá, junto com eles, tocando”, apontando para os integrantes da banda.

O gosto pela música revelado pelo pequeno Lucas é de família. Enquanto ele estava em pé, próximo aos integrantes da Banda, acompanhando todos os detalhes, um pouco afastado, mas atento à tudo, se encontrava seu avô, Jósimo de Paula, 80 anos. Sentado, ele dizia que a “música ajuda muito” e que apresentações como aquela “devem acontecer mais vezes para alegrar o povo”.

Gosto do povo

A participação do público agradou os músicos e o maestro e professor José Carlos Marques Pereira. Para ele, são momentos que “gratificam o nosso trabalho” e que, a preocupação foi escolher um repertório com músicas “que o povo gosta”.

José Carlos informou que estas apresentações contam com participação importante dos alunos da Escola de Música Manoel Florêncio. Somente ontem, entre os 40 integrantes, 35 eram alunos e cinco instrutores, “todos também ex-alunos, que aprenderam aqui dentro”, comemorou, lembrando que tudo isto é uma preparação para o Concerto de Santa Cecília, marcado para 21 de novembro.

À véspera de completar 50 anos de fundação, a Banda Manoel Florêncio atravessa um grande momento, conforme testemunho do próprio maestro. Segundo ele, tudo é resultado do incentivo por parte do prefeito Ruiter Cunha e o resultado são as apresentações que atraem grande público.

“Acabamos de chegar um uma viagem a Londrina, onde participamos de um evento importante, ao lado de músicos até do exterior. Tivemos todo apoio do prefeito e isto nos proporcionou maior intercâmbio, melhorar nosso repertório, enfim, um ganho enorme”, lembrou.

José Carlos explicou que todo o trabalho está produzindo bons frutos. Segundo ele, hoje a Escola e a Banda contam com oito instrutores, todos formados no próprio local e que são funcionários efetivos da Prefeitura. “Passaram em concurso para cargos de instrutor, criado pelo próprio prefeito”, diz, para em seguida lembrar que a banda já exportou bons profissionais, tanto para o Exército quanto para a Marinha do Brasil, para integrar as bandas de música das duas instituições.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional