Produtores de leite recebem incentivo e mais estrutura

 Marcos Boaventura

  
Com melhorias, usina pode produzir 8 mil litros/dia, acredita Panovitch

A compra de mais três resfriadores para atender os criadores de gado leiteiro de Corumbá, anunciada no sábado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, vai ampliar para 7 o número de pontos de armazenamento do leite produzido pelos pequenos produtores no Município e melhorar a estrutura para beneficiamento do produto. O investimento faz parte do Programa Municipal de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Pantaleite), que prevê, além da melhoria e aumento da produção, a criação de alternativas para a industrialização do leite.

“A nossa meta é, além do leite pasteurizado, colocar no mercado corumbaense o queijo mussarela, bem como bebidas lácteas. Estamos trabalhando para isso”, afirma o presidente da Fundação Wilton Panovitch. Ele lembrou que, além dos novos resfriadores, foi anunciado pelo prefeito a aquisição de um furgão refrigerado e um caminhão-pipa, para atender aos criadores de leite. Ao todo, eles representam 5 mil famílias em Corumbá.

“Com os novos investimentos, ampliaremos o sistema, facilitando a vida do produtor rural, que terá um local mais próximo de sua propriedade para armazenar o leite de forma adequada”, disse.  O leite coletado pelos produtores vai para os resfriadores, onde é mantido na temperatura adequada, e de lá para a Usina de Leite, que é administrada pela Fundação.

Os quatro resfriadores já instalados estão nos assentamentos Taquaral (Agrovila II), Tamarineiro II (sul e norte) e no Paiolzinho. Panovitch explicou que os outros três vão atender os produtores de outras regiões do Taquaral (2) e Paiolzinho (1). “Além disso, com a aquisição de um caminhão, contaremos com uma estrutura adequada para fazer a coleta diária do produto”, explicou.

Informou ainda que a Prefeitura vai instalar um entreposto no centro da cidade, na sede da Fundação Terra Pantanal, localizada na rua Ladário, 841, para agilizar a entrega do produto.

A usina tem uma capacidade para processar 8 mil litros/dia. Panovitch destacou a necessidade de o produtor encaminhar leite direto para pasteurização, principalmente pelo fato de que o setor de Vigilância Sanitária está em intensa campanha de fiscalização, para evitar a comercialização do leite in natura, proibida por lei.

No sábado, durante a Ação Prefeito Presente, foram distribuídos aos consumidores e aos produtores, panfletos orientando sobre a importância de consumir leite pasteurizado e ainda sobre os cuidados que devem ser tomados pelos criadores para garantir a qualidade do produto.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional