Prefeitura e Exército preparam ação de prevenção à gripe suína

 Marcos Boaventura

  

 Reunião com militares foi ontem pela manhã na 18ª Brigada

A Prefeitura Municipal e o Exército Brasileiro vão atuar juntos nas ações de prevenção e combate ao vírus Influenza A (H1n1), a chamada gripe suína. Ontem, durante um encontro na 18ª Brigada de Infantaria e Fronteira Ricardo Franco, equipe da Secretaria Executiva de Saúde Pública manteve entendimentos sobre a possibilidade de a guarnição militar instalar uma tenda em frente ao Pronto Socorro Municipal, que seria utilizada para triagem e tratamento da doença. Somente os casos considerados mais graves é que seriam encaminhados ao PS.

A instalação dessa tenda foi um dos assuntos discutidos pela comissão que elaborou um plano de contingência para desenvolvimento de ações, em maio, envolvendo representantes da Secretaria Executiva de Saúde Pública, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria Executiva de Meio Ambiente, Superintendência de Turismo e Gerência Municipal de Ações da Defesa Civil.

A gerente de Vigilância em Saúde da Prefeitura, Viviane Ametlla, explicou que já havia sido encaminhado ofício ao comando da 18ª Brigada solicitando este apoio. O argumento do secretário-executivo de Saúde, Lauther Serra, que assina o documento, é que a instalação da tenda se faz necessária devido ao aumento do número de atendimentos no Pronto Socorro Municipal nos últimos dias.

“Praticamente dobrou. Qualquer sintoma de gripe está fazendo com que as pessoas procurem o Pronto Socorro e a instalação dessa tenda se faz necessária para que possamos fazer a triagem, atendimento e encaminhamento dos casos mais grandes ao PS”, explicou Viviane.

A gerente explica também que a Prefeitura disponibiliza também para atendimento, os Centros de Saúde existentes nos bairros da cidade, todos preparados para realizar este tipo de atendimento. Foca inclusive os Pronto Atendimentos Fernando Moutinho, no Cristo Redentor, e o Paulo Maissato, na Nova Corumbá. Segundo ela, o PS deve ser procurado somente em caso de urgência e emergência, para se evitar aglomeração.

Segundo o médico Rogério Takaki Bento, em dias de grande movimento, o Pronto Socorro registrava um atendimento médio diário de 230 pessoas. Hoje, está em torno de 400 e isto se deve justamente à preocupação da população com a gripe suína. Conforme ele, qualquer sintoma de gripe, faz o paciente buscar atendimento médico, o que acaba causando superlotação no PS. “Por isso é necessária esta tenda. Assim, no Pronto Socorro, atenderemos somente casos considerados mais graves”, explicou.

A enfermeira Keyla Brito, coordenadora do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, foi a responsável pelos entendimentos com a 18ª Brigada na manhã de hoje. Segundo ela, a guarnição já se colocou à disposição da Prefeitura para desenvolvimento de ações contra a doença e que, agora, restam apenas alguns acertos para instalação da tenda de atendimento.

Além dessa estrutura, a Prefeitura e Parceiros já disponibilizaram 20 leitos hospitalares – 6 masculinos, 6 femininos, 8 pediátricos e 2 na Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) – para acomodar possíveis infectados pelo H1N1.

Outra decisão foi a instalação do telefone 0800 647 2255 (ligação gratuita) para esclarecer dúvidas e orientar a população a respeito da doença. O atendimento está a cargo da Secretaria Executiva de Saúde Pública, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), escritório de Corumbá.

Palestra

Além de tratar da instalação de uma tenda de atendimento na cidade, Rogério Bento e Keyla Brito ministraram uma palestra ontem, direcionada a 30 militares da 18ª Brigada e do 17º Batalhão de Fronteira. Foi no auditório da Brigada Ricardo Franco. Os profissionais repassaram todos os detalhes sobre o vírus, destacando que o diagnóstico rápido e o monitoramento, são importantes para evitar agravamento da doença.

Segundo Bento, a evolução do vírus H1n1 é rápida e a medicação deve ocorrer até 48 horas após o início do sintoma, de preferência. A coleta do material para análise laboratorial (São Paulo é o centro mais próximo dos três existentes no Brasil), por orientação do Ministério da Saúde deve ser somente de casos considerados graves, e para melhor eficácia, deve ser feito até o terceiro dia do início do sintoma.

Focaram fatores preventivos, principais sintomas, cuidados que devem ser tomados, controle de surtos em comunidade fechada, precaução e controle. Solicitaram que os militares sejam multiplicadores, repassando informações aos demais componentes das duas instituições militares.

Para o coronel Arioldo Centurião, a palestra foi esclarecedora e que “com certeza, será repassada”. Ele informou também que o Exército Brasileiro é parceiro na multiplicação de conhecimentos para prevenir a doença, e colocou a instituição à disposição da Prefeitura para ações em Corumbá.

Antônio Miranda-Subsecretaria de Comunicação Institucional