Médicos e professores participam de palestra sobre H1N1

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria Executiva de Saúde Pública, pasta ligada a Secretaria de Ações Sociais, realiza nesta sexta-feira, 7 de agosto, às 8 horas, no auditório do Banco do Brasil, nova capacitação de médicos e professores do Município sobre o vírus Influenza A-H1N1 e a dengue. O palestrante será o infectologista Rivaldo Venâncio da Cunha, doutor em Medicina Tropical (IOC/Fiocruz) e professor da UFMS, onde também coordena mestrado e doutorado em Doenças Infecciosas e Parasitárias. Venâncio integra o comitê de assessoria do Ministério da Saúde para dengue e febre amarela e responde pelo Escritório da Fiocruz em Mato Grosso do Sul.

“A palestra vai reforçar as informações a respeito do novo Protocolo de Manejo Clínico e Vigilância Epidemiológica da Influenza, lançado pelo Ministério da Saúde, e capacitar os médicos de como identificar e proceder em casos suspeitos da gripe suina”, explicou o secretário executivo de Saúde de Corumbá, Lauther da Silva Serra. “A atividade vai complementar as várias outras ações realizadas pelo Município ao longo de todo o ano”, lembrou o médico.

 

A Secretaria Executiva de Saúde também convidou os médicos das cidades bolivianas da fronteira para participarem do evento. “Tanto a dengue como a Influenza A são doenças que se proliferam muito rapidamente, por isso a preocupação em fortalecer também as ações de prevenção e tratamento no país vizinho”, disse Lauther. Para os professores, o vento começa às 10 horas.

 

Bem antes de se confirmar o primeiro caso da nova gripe em Mato Grosso do Sul, a Prefeitura de Corumbá já havia tomado uma série de medidas para evitar a proliferação da doença na região pantaneira. O Município capacitou todos os profissionais (médicos, técnicos e administrativos) das Unidades Básicas de Saúde e demais setores administrativos da Prefeitura. Todos os casos suspeitos de gripe foram vigiados conforme determina o protocolo do Ministério da Saúde.

 

O Município também já disponibilizou 20 leitos hospitalares – 6 masculinos, 6 femininos, 8 pediátricos e 2 na Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) – para acomodar possíveis infectados pelo H1N1. Marinha, Exército e Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) também fazem o trabalho preventivo na região. Todos os profissionais envolvidos na ação foram capacitados pela Prefeitura.

Rodrigo Nascimento-Subsecretaria de Comunicação Institucional