Corumbá se prepara para grandes avanços econômicos, diz Ruiter

Marcos Boaventura

Fiems anunciou cerca de R$ 10 milhões em obras no município

Os investimentos anunciados pela Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) vão preparar a população do município para acompanhar o desenvolvimento econômico pelo qual passa toda a região. “O Senai e o Sesi formarão mão de obra capacitada para todo esse conglomerado econômico que já está se instalando por aqui”, afirmou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT).

Destacando a instalação de uma mineradora em Puerto Quijarro, na Bolívia, e a possibilidade de Corumbá receber um pólo gás-químico para beneficiar o gás natural comprado do país vizinho, o prefeito lembrou que a capacitação profissional deve resolver um dos principais gargalos para o desenvolvimento social do município.

“Estes investimentos que estão sendo feitos significam que estamos nos credenciando para este momento, ou seja, estamos mostrando que, além de oferecer a matéria prima, nós também temos condições de resolver um dos grandes problemas para o desenvolvimento da indústria, que é a mão de obra capacitada”, disse Ruiter.

Nesta quinta-feira, 6 de agosto, o presidente da Fiems, Sergio Longen, acompanhado do deputado estadual Paulo Duarte (PT), apresentou ao prefeito as obras que serão realizadas na cidade pelo Sistema Fiems, em comemoração aos 60 anos do Sesi e Senai em Mato Grosso do Sul. A entidade deve investir no município mais de R$ 10 milhões.

Na Escola do Sesi serão investidos quase R$ 3 milhões para a troca da cobertura, reforma do prédio, reforma das áreas de lazer e demais áreas de negócios de gestão, pavimentação externa e demolições e retiradas de entulho. A revitalização do Senai terá investimento de R$ 4,2 milhões para as construções, cobertura de pergolados, reforma de toda a unidade, pavimentação externa e demolições e retirada de entulhos.

Além disso, serão investidos mais R$ 411 mil no projeto de instalação de dois novos laboratórios de química e minerologia, sendo que cada um contará com uma área de 97 metros quadrados e ambos servirão para atender as necessidades dos cursos técnicos de química e mineração como também as demandas das indústrias em algumas análises físico-químicas e análises químicas de minérios.

O laboratório de química terá uma série de equipamentos que poderão ser utilizados para suporte à indústria como espectrofotômetro para análise de água e minérios, análise granulométrica e equipamentos de análise química via úmida. Já o laboratório de minerologia terá equipamentos de tratamento laboratorial de minérios, britador, moinho, equipamentos de bancada – estereoscópio, microscópios e também um software para leituras de mapas e cartas geológicas -, máquinas e equipamentos para trabalhos a campo, como teodolitos, estação meteorológica e GPS.

Rodrigo Nascimento-Subsecretaria de Comunicação Institucional