Ruiter autoriza construção de mais 112 casas em Corumbá

 Clóvis Neto

  
Meta de Ruiter é garantir moradia digna para família de baixa renda

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) autorizou início de processo licitatório para construção de mais 112 casas em Corumbá. As moradias vão atender famílias em situação de vulnerabilidade social e integra o Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS), do Governo Federal. Na cidade, ele será desenvolvido em parceria com a Prefeitura e as unidades estão orçada em R$ 2.081.449,72.

Os recursos foram assegurados junto ao Orçamento Geral da União, que está disponibilizando R$ 1.976.600,00. Outros R$ 104.849,00 são contrapartida da Prefeitura Municipal. Cada unidade habitacional terá uma área construída de 42,42 m² e o custo unitário é de R$ 18.000,00.

As casas serão construídas nos bairros Nova Corumbá e Guató. Foram anunciadas pelo prefeito Ruiter Cunha durante a realização da Ação Prefeito Presente na escola municipal Clio Proença, que atendeu a comunidade da parte alta da cidade.

Conforme o prefeito, as 112 casas populares fazem parte de um programa de governo desencadeado desde o início da sua primeira gestão e, ao mesmo tempo, “propiciando um lar para famílias que não possuem condições dignas de habitação. Será a concretização do sonho da casa própria aliado à diminuição do déficit habitacional existente em Corumbá”.

O objetivo da administração municipal com o Programa PAC – FNHIS é reduzir o expressivo déficit habitacional do município, principalmente na faixa de renda compreendida entre zero e três salários mínimos.

Segundo o secretário executivo Luiz Mário Preza Romão, de Habitação e Regularização Fundiária, o processo licitatório já foi iniciado. Conforme ele, após os trâmites legais, o prefeito deve autorizar início das obras, cujo prazo para conclusão é de um ao.

“A determinação do nosso prefeito é continuar buscando parcerias, mais recursos para construção de outras unidades habitacionais de interesse social em nossa cidade, na tentativa de reduzir ainda mais o déficit de moradias em nossa cidade”, comentou Romão.

Antônio Carlos – Subsecretaria de Comunicação Institucional