Corumbá discute operacionalização do Centro de Convenções

 Clóvis Neto

  
Ruiter já discute operacionalização do Centro de Convenções

A Prefeitura de Corumbá discute com a Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras (ABRACCEF) as ações que devem ser desenvolvidas pelo Executivo visando a operacionalização do Centro de Convenções, construído no Porto Geral às margens do rio Paraguai.

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) reuniu-se com o diretor da ABRACCEF, Sérgio Camilo de Camargo, para definir como será utilizado o espaço. Corumbá também se filiou à entidade. O chefe do Executivo corumbaense explicou que uma das ações do Executivo para atrair eventos ao Centro de Convenções será a valorização de atrativos locais, como o rio Paraguai e a fauna e flora do Pantanal.

A Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras reúne e associa centros de convenções e de exposições de todo o Brasil, com a finalidade de promover a integração e a troca de informações relativas às áreas de operações, finanças, tecnologia, gerenciamento, marketing, comercial, relações com clientes e desenvolvimento de negócios.

“O processo do Centro de Convenções está bem adiantado. Vislumbrei um equipamento bastante positivo em conformidade com as necessidades e características do município de Corumbá e do ponto de vista de seu porte e de suas características arquitetônicas”, disse Sérgio Camilo.  Para o diretor da instituição, o Centro de Convenções de Corumbá permitirá a realização de eventos que vão “agregar valor à cidade, ocupar hotéis sua indústria de lazer e entretenimento; restaurantes e bares”.

O secretário Municipal de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, e a diretora-presidente da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, Lígia Baruki, também participaram da reunião. 

O Centro de Convenções

A obra está sendo construída pela Prefeitura Municipal. São investidos cerca de R$ 8 milhões, dos quais 50% em recursos do próprio município. A outra parte é do Governo Federal, através de emendas parlamentares junto ao Orçamento Geral da União.

As duas primeiras etapas já foram concluídas pela Prefeitura. Foram obras de recuperação do prédio do armazém da extinta Portobras, onde já funcionaram agências de turismo e a Colônia dos Pescadores. Ainda foram realizadas a construção e urbanização da área externa – num total de 4.400 metros quadrados – e implantação de um estacionamento para 240 veículos. É dotado de dois auditórios (com 75 lugares cada), cinco salas de reuniões, cafeteria, choperia e restaurante, e integra a nova e moderna estrutura do Porto.

Atualmente, cerca de 50 operários trabalham na construção do bloco dois, um novo prédio com auditório central e capacidade para 750 pessoas; palco de 152 metros quadrados para dança, shows e teatro, com sistema de acústica e tradução simultânea. Além disso, será dotado de quatro camarins, 10 banheiros, sala de imprensa, sala vip, sala de ensaios, salas de tradução, depósito, cabines de som e iluminação, bem como um amplo estacionamento, inclusive para ônibus. Conta com 2.600 metros quadrados e tem um custo orçado em R$ 3 milhões, sendo R$ 1,7 milhão da Prefeitura, e R$ 1,3 do Governo Federal, emenda do senador Delcídio do Amaral.

O Centro de Convenções está incluído no Programa Turismo Brasil, do Ministério do Turismo. Além de emendas do senador Delcídio do Amaral, conta também com recursos provenientes de emendas de outros representantes da bancada de Mato Grosso do Sul em Brasília, como os deputados Vander Loubet e Antônio Cruz.

Marcelo Fernandes – Subsecretaria de Comunicação Institucional