Projeto melhora condições de vida da comunidade corumbaense

 Prefeitura de Corumbá

  
No Aeroporto, ruas e alamedas já estão sendo pavimentadas

Projeto social desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá está mudando o visual de ruas e alamedas do bairro Aeroporto que estão sendo pavimentadas com lajotas sextavadas. Os serviços fazem parte da quinta etapa do programa Se Essa Rua Fosse Minha, idealizado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) a partir de reuniões com a comunidade corumbaense, antes mesmo de ser eleito para a sua primeira gestão, em 2004.

O programa está permitindo a urbanização de bairros da cidade, além de gerar renda para o trabalhador corumbaense, que participa ativamente de todo o processo, na fabricação e assentamento das lajotas, após capacitação realizada em parceria pela Prefeitura e Senai. Nesta etapa, 35 pessoas participaram do curso.

A estapa foi lançada no início de maio pelo prefeito Ruiter Cunha, durante solenidade em Albuquerque, distrito que também esta sendo beneficiado pelo pacote, juntamente com a localidade do Jardinzinho, na região urbana da cidade, totalizando 21.600 metros quadrados de área pavimentada.

No Aeroporto, 12 trabalhadores que participaram do curso, estão sendo responsáveis pelo pavimento de quatro ruas e alamedas do bairro: Marechal Floriano, Américas, Pedro Alexandrino e José Silvino da Costa. O assentamento das lajotas foram iniciados na manhã desta segunda-feira. Antes, maquinários da Prefeitura executaram serviços de terraplanagem, preparando todo o trecho para o lajotamento.

Da porta de sua casa, na rua Marechal Floriano, dona Eugênia Gomes, 80 anos, observa o trabalho da equipe, todos vizinhos. Disse estar gostando do que está vendo. Prevê melhorias para a região. “Vai ser bom para todos nós”, diz, lembrando que com a pavimentação, acabam problemas de barro, em época de chuva, ou mesmo da poeira, durante a seca. “Ficava até difícil sair de casa com chuva. Muita lama. Agora vai mudar”, completou.

Tânia de Souza, 37 anos, moradora na rua José Silvino da Costa, também demonstra otimismo. Ela está participando ativamente da obra. É uma das 12 pessoas do bairro que participou do curso e, hoje, está ajudando a melhorar a vida de todos os moradores da região. “Está sendo muito bom. É gratificante a gente ajudar e mlhorar nosso bairro e, além do mais, é uma renda extra para ajudar nossa família”, diz, enquanto ajuda uma colega a transportar lajotas que serão utilizadas na pavimentação.

Novo formato

O programa, este ano, está com um novo formato e é realizado com recursos da Prefeitura, através do Fundo Municipal de Investimento Social (FMIS). Foi iniciado em 2007. São duas etapas distintas. Na primeira delas, os alunos passam por 60 horas de capacitação teórica. Depois são submetidos a três meses de estágio prático, quando promovem a pavimentação com lajotas de ruas e alamedas dos bairros onde moram. Os alunos recebem uma bolsa auxílio durante o período.

Para o prefeito Ruiter Cunha, o programa tem um significado muito importante, não só pela pavimentação e infraestrutura. Mas, principalmente, “porque dá oportunidade para pessoas. Esse é o diferencial”, afirma, lembrando que permite a “inclusão e inserção das pessoas” através da capacitação profissional garantindo que cada integrante do curso “torne-se cidadão de fato”,. além de uma oportunidade para inserção no mercado de trabalho, considerado pelo prefeito como o ganho maior do ser humano.

O programa está sob coordenação da Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, pasta comandada pela primeira-dama Beatriz Cavassa de Oliveira. Segundo ele, o novo formato permite a integração, de fato, dos serviços de todas as secretarias do Executivo Municipal. É que, paralelo ao lajotamento, estão sendo desenvolvidas palestras educativas para as famílias dos participantes do programa, além de ações sociais, de saúde e meio ambiente para as comunidades envolvidas em cada capacitação.