Prefeitura intensifica ações contra gripe suína em Corumbá

A Prefeitura de Corumbá está intensificando as ações de orientação e prevenção à Influenza A (H1N1), a chamada gripe suína. Desde o final de abril, quando surgiu a doença no México, a Secretaria Executiva de Saúde Pública promove trabalho conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os trabalhos já foram reforçados na região de fronteira com a Bolívia; rodovias; porto e aeroporto.

Um plano de contingência para desenvolvimento de ações foi discutido e previamente definido numa reunião, ainda em maio, envolvendo representantes da Secretaria Executiva de Saúde Pública, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria Executiva de Meio Ambiente, Superintendência de Turismo e Gerência Municipal de Ações da Defesa Civil.

“O trabalho tem sido muito bem articulado e vamos levar orientações também à rede hoteleira sobre as medidas adotadas e devidos procedimentos”, disse a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla.

A intensificação dos serviços de orientação é necessária diante da situação global que a doença alcançou. Com a Organização Mundial de Saúde (OMS) elevando para Fase 6 o nível de preparação de pandemia, em que acontece a disseminação da infecção entre humanos – no nível comunitário – em diferentes regiões do mundo.

Apesar da alteração de fase a maioria dos casos confirmados até o momento permanece tendo quadro clínico leve e evoluem para cura. Existe uma maior freqüência de casos mais graves entre pessoas com doenças crônicas preexistentes. O índice de mortes é bastante reduzido. No Brasil, até esta quinta-feira, dia 25, o Ministério da Saúde tinha confirmado 452 casos Influenza A (H1N1). Até o momento, 106 países têm casos confirmados e divulgados da doença.

O Ministério da Saúde reiterou a recomendação para que as pessoas com maior risco de desenvolver formas graves da doença (crianças menores de 2 anos, idosos, gestantes, pacientes com quadro de imunodepressão, diabéticos, cardiopatas, pneumopatas e renais crônicos) adiem, se possível, as viagens para países com transmissão sustentada do vírus Influenza H1N1, ou seja, com a evidência de transmissão do vírus de pessoa a pessoa no próprio país.

A Secretaria Executiva de Saúde Publica de Corumbá monitora um paciente que apresentou sintomas suspeitos durante a viagem que fez do Rio Grande do Sul até Corumbá. Já foi coletado material clínico e encaminhado para análise do Laboratório Central, em Campo Grande.

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal. Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença – quando a pessoa infectada espalha vírus – e examinadas em laboratório.