Corumbá quer vacinar 10,1 mil crianças contra a paralisia

 Arquivo PMC

  
Vacinação é uma constante em Corumbá no combate à paralisia infantil

A Prefeitura de Corumbá já está com estrutura montada para imunizar 10.194 crianças com até cinco anos, contra a paralisia infantil. O Dia D da primeira etapa da Campanha Nacional acontece em 20 de junho, mas a Secretaria Executiva de Saúde Pública já está disponibilizando a vacina nas unidades de saúde. A campanha é apontada de extrema importância, principalmente para evitar que a paralisia infantil volte atingir as crianças brasileiras, em especial, as corumbaenses. No Brasil, a doença foi erradicada há 18 anos.

A poliomielite ou paralisia infantil, como é mais conhecida, é uma doença infecto-contagiosa viral aguda que se manifesta de diversas formas. O quadro clássico é caracterizado por paralisia flácida de início súbito e acomete geralmente os membros inferiores. Em algumas pessoas a doença pode levar a paralisia dos músculos respiratórios e da deglutição: situação que deixa a vida do paciente ameaçada.

Ocorre principalmente por contato direto entre pessoas, pelas vias fecal-oral ou oral-oral. A transmissão oral-oral ocorre através de gotas contaminadas que saem da boca ao falar, tossir ou espirrar. A falta de saneamento básico e o elevado número de crianças morando em uma mesma residência favorecem a transmissão do poliovírus.

As manifestações clínicas são variáveis, desde infecções sem sintomas ou sinais até quadros de paralisia severa, levando à morte. Somente as formas paralíticas apresentam manifestações como instalação súbita da deficiência motora, acompanhada de febre; assimetria, comprometendo a musculatura dos membros e flacidez muscular; com diminuição ou abolição de reflexos na área paralisada.

Não existe tratamento específico, mas todos os casos com manifestações clínicas devem ser internados para acompanhamento médico. A única medida eficaz para manter erradicada a circulação do poliovírus é a vacinação.

Postos

Para o Dia D, a Saúde Pública vai disponibilizar 20 postos localizados em pontos estratégicos da cidade: Unidades Básicas de Saúde da Família São Bartolomeu, na rua Pernambuco, no João de Deus; Enio Cunha, na alameda Tamengo, bairro da Cervejaria; Popular Velha, na rua Teodomiro Serra, Popular Velha; Fernando Moutinho, na rua Rio Grande do Sul, bairro Cristo Redentor; Breno de Medeiros, na rua Ciríaco de Toledo, Popular Nova; Paulo Maissato, na rua Ciríaco de Toledo, Nova Corumbá; Kadwéus, na rua Ciríaco de Toledo, no Kadwéus; Gastão de Oliveira, na rua Nossa Senhora da Conceição, no Maria Leite; Dom Bosco, rua Dom Aquino, bairro Dom Bosco; Aeroporto, na rua Alan Kardec, no Aeroporto; Centro de Saúde da Ladeira Cunha e Cruz, no centro da cidade.

Vão funcionar ainda as Unidades Básicas de Saúde Luis Fragelli, na rua Eugênio Cunha, bairro Universitário, e Humberto Pereira, na rua Luiz Feitosa Rodrigues, no bairro Nossa Senhora de Fátima. Outros postos serão o Centro de Saúde da Mulher, na 15 de Novembro, centro; Centro Integrado de Saúde, no antigo mercado municipal, centro; Escola Fernando de Barros, Extensão do Vitória Régia; Escola Estadual Maria Leite, na rua Porto Carrero, Vila Noroeste; Escola Almirante Tamandaré, no Guatós; Centro de Convivência dos Idosos, no Jardim dos Estados, além de uma unidade volante para atender hospitais e outros locais da cidade.

Além da vacina contra a paralisia infantil estarão disponíveis também contra tetra valente, febre amarela, tríplice viral, rotavirus, tríplice bacteriana (DTP), hepatite B e contra tétano. Para os adultos estarão disponíveis doses contra febre amarela, tétano e hepatite B. O setor de Saúde Pública alerta sobre a necessidade da apresentação do cartão de vacinação.